Sérgio Conceição nega contactos directos para treinar o FC Porto

Treinador do V. Guimarães reconhece que o ambiente criado antes da recepção aos portistas "não é bom"

Foto
Fernando Veludo/NFactos

O treinador do Vitória de Guimarães, Sérgio Conceição, negou neste sábado qualquer contacto com o FC Porto para assumir o comando técnico dos 'dragões', que defronta no domingo, em jogo da 18.ª jornada da I Liga de futebol.

Vários meios de comunicação social deram conta, durante a última semana, de que o técnico dos vimaranenses poderá ser o substituto de Julen Lopetegui, um cargo que é ocupado, interinamente, por Rui Barros, mas o Conceição desmentiu qualquer negociação directa.

"Sobre o que tem vindo a público, posso-vos garantir que comigo, directamente, ninguém falou. Tudo o que tem vindo a público passa-me ao lado. Tenho contrato com o Vitória. Devo respeito à direcção e aos adeptos. Devo ser, ao máximo, profissional e alhear-me de tudo o que foi dito, porque em nada corresponde à verdade", assegurou o treinador.

Sérgio Conceição disse, portanto, desconhecer qualquer possibilidade de ser apresentado como técnico do FC Porto, dizendo que "não existe nada" de que possa falar e que deve respeitar o contrato que o vincula aos vitorianos.

"Não sei o que me vai acontecer daqui a seis meses, um ano. O que posso falar de uma situação em que não existe nada que eu possa falar, a não ser o que tem vindo na imprensa. Sei que tenho contrato com o Vitória. Sou sério, sou trabalhador e não é um resultado positivo ou um resultado negativo que vai deixar dúvidas sobre isso", afirmou.

O timoneiro minhoto recusou ainda qualquer regozijo por ser associado aos “dragões”, tendo dito que o seu orgulho é "ganhar no domingo" e "ver a equipa crescer", negando também que a situação falada nos últimos dias tenha interferido no trabalho da equipa, apesar de ter dito que o ambiente criado "não é bom".

"Obviamente, tive uma palavra com o grupo de trabalho. A nossa semana de trabalho foi exactamente igual em analisar ao pormenor o adversário e em criar a estratégia para levar de vencido o FC Porto. Foi absolutamente normal, dentro do trabalho feito no balneário. Fora, sabem que foi diferente", esclareceu.

Sobre o próximo adversário, Sérgio Conceição disse esperar uma equipa difícil, talvez um pouco mais "objectiva" e "vertical" sob a liderança de Rui Barros, vincando, porém, que o único objectivo passa pelo triunfo.

"Esperamos um adversário difícil, de certa forma, animado pelo resultado do rival que vai à frente do campeonato [Sporting empatou com Tondela]. Vamos ter de estar ao nosso melhor nível para conseguir o nosso objectivo, que passará pelos três pontos", antecipou.

O treinador vitoriano não poderá contar, para este encontro, com Otávio e Licá, ambos emprestados pelos 'azuis e brancos', tendo admitido que as duas ausências são importantes para a equipa, apesar da confiança demonstrada em quem os irá substituir.

"Regressou o Montoya e o Joseph, um mês e meio depois de estarem parados. Não vai ser fácil montar o 'onze'. Um ou outro jogador vai ter de jogar. Isso não muda os princípios da equipa, que estão cada vez mais cimentados. Vai haver uma ou outra alteração na estratégia de jogo", revelou.

O técnico mostrou-se ainda céptico de que o FC Porto possa sentir cansaço no domingo por ter jogado na quarta-feira, com o Boavista, para a Taça de Portugal, tendo dito que "o Porto tem soluções para colmatar esse cansaço".

O Vitória de Guimarães, oitavo classificado, com 23 pontos, defronta o FC Porto, terceiro, com 40, pelas 20h30 de domingo, no Estádio D. Afonso Henriques, em jogo que será arbitrado por Manuel Oliveira, da Associação de Futebol do Porto.