Despedimentos na BP não afectam Portugal

Petrolífera anunciou reestruturação que afecta 4000 postos de trabalho em todo o mundo na área da exploração e produção.

Foto
BP tem 392 postos de abastecimento em Portugal REUTERS/Alexander Demianchu

O despedimento de 4000 trabalhadores em todo o mundo na BP não vai afectar Portugal. De acordo com a agência Lusa, que cita fonte da empresa, a petrolífera não opera nas áreas de exploração e produção no mercado nacional, pelo que o anúncio de terça-feira “não impacta a operação da empresa” em Portugal.

“A BP continua a crescer em Portugal em todas as áreas de negócio em que opera, nomeadamente na área dos combustíveis, lubrificantes e aviação", refere a BP, que tem uma rede de 392 postos de abastecimento. Este ano, a intenção é ultrapassar os 400 postos.

Já em Angola, o corte de custos com recursos humanos terá impacto. O porta-voz da petrolífera BP confirmou hoje que a operação que a empresa tem naquele país será afectada pelos cortes no pessoal, mas não especificou se haverá despedimentos ou apenas mais contenção nas despesas.

A BP vai despedir 4000 trabalhadores em todo o mundo nos próximos dois anos, numa altura em que o preço do petróleo pressiona as empresas do sector. A actividade de exploração e produção vai passar a empregar 20 mil pessoas até ao final de 2017, o que representa perto de 5% do total de trabalhadores do grupo. A BP prevê despedir 600 funcionários no mar do Norte, a maioria ainda este ano.

“Tendo em conta os problemas bem conhecidos na actividade desta região, e do agravamento das condições de mercado, devemos tomar medidas concretas para assegurar que a nossa empresa permaneça competitiva e forte”, disse Mark Thomas, presidente regional da BP para o mar do Norte, onde existem importantes reservas de petróleo e gás natural.