Cientistas vão tentar pôr File a trabalhar

A poucas semanas do robô pousado no cometa 67P deixar de ter condições para funcionar, a equipa da Agência Espacial Europeia vai tentar dar um empurrão ao File

A primeira fotografia tirada pela File já pousada no cometa 67P, que foi divulgada pela ESA
Foto
Uma imagem do ambiente do cometa captada pelo File depois de ter pousado no 67P ESA

Os cientistas europeus vão enviar um comando para o espaço, no domingo, para tentar fazer mover e restaurar o contacto com o robô File da Agência Espacial Europeia (ESA, sigla em inglês). Pousado no cometa 67P/Churiumov-Gerasimenko, o robô está silencioso desde o Verão.

Depois de adormecer no meio da escuridão, quando aterrou no cometa 67P em Novembro de 2014, o File voltou a acordar em Junho durante a aproximação do cometa ao Sol, dando esperanças aos cientistas que pudesse completar algumas experiências que ainda não tinha sido realizadas quando as suas baterias alimentadas com energia solar se gastaram.

Mas desde 9 de Julho que o robô, que é uma espécie de laboratório do tamanho de um fogão, não fez mais contactos com a sonda Roseta, que continua a orbitar à volta do 67P. A equipa da ESA acredita que o robô pode ter mudado mais uma vez de posição. De acordo com a avaliação dos cientistas, uma das duas antenas do File que recebem informação e um dos dois transmissores deixaram de trabalhar, ao passo que os outros não estão a funcionar na perfeição.  

Um sinal detectado na noite de 21 de Dezembro foi demasiado fraco para provar que o robô estava definitivamente vivo, explica um comunicado de sexta-feira do Centro Espacial Alemão. Como o cometa 67P está, desde Agosto, a afastar-se do Sol, os cientistas prevêem que as condições no cometa deixem de ser apropriadas para o funcionamento do robô já no fim de Janeiro.

Por isso, numa tentativa derradeira, a equipa vai tentar mover o robô accionando uma espécie de volante interno que permitiu a estabilização do File durante a sua descida ao cometa, que viaja no espaço a 1350.000 quilómetros por hora. “No melhor dos cenários, o File vai abanar-se e libertar-se, com o pó dos painéis solares a cair e com o robô a ficar virado para o Sol”, diz Koen Geurts, que pertence à equipa do centro alemão que controla o robô. Mas os cientistas admitem que as hipóteses de sucesso são baixas.     

“O tempo está a esgotar-se, por isso queremos tentar todas as possibilidades”, disse, por sua vez, Stephan Ulamec, líder do projecto. Apesar de o File não ter tido muito tempo para trabalhar, a informação que recolheu já está a mudar aquilo que os cientistas pensam sobre os cometas.