Naum Kleiman vem a Lisboa mostrar Eisenstein na Cinemateca

Entre 18 e 22, cinco sessões dedicadas ao autor do Couraçado Potemkine

Foto
O Couraçado Potemkine (1925) será exibido terça-feira, dia 19

Se não houvesse outras razões (e há), só esta era suficiente para marcar já nas agendas o programa de Janeiro da Cinemateca Portuguesa: a presença em Portugal de Naum Kleiman, figura central da internacional cinéfila, historiador, crítico, director do Museu de Cinema de Moscovo (cargo do qual foi afastado, por pressões políticas, em 2015), especialista de Sergei M. Eisenstein, um dos inventores do cinema moderno. E Kleiman vem a Portugal para, entre 18 e 22 de Janeiro, dedicar as cinco sessões do programa mensal Histórias do Cinema a Eisenstein, o autor do Couraçado Potemkine, que conhece como ninguém: participou no restauro técnico de várias obras do cineasta, organizou a edição completa dos seus textos, fundou o museu moscovita que lhe é dedicado. As Histórias do Cinema acompanham a projecção da obra de um realizador com sessões de apresentação realizadas por especialistas do seu cinema, tendo já trazido a Portugal nomes como Laura Mulvey, Bernard Eisenschitz, Adriano Aprà, Luciano Berriatua ou Olaf Müller.

Este mês, será então a vez do cinema de Eisenstein ser “dissecado” por Kleiman (em inglês), em cinco sessões a decorrer sempre às 18h: Greve (1924) segunda 18, O Couraçado Potemkine (1925) terça 19, Outubro (1927) quarta 20, fragmentos de quatro obras inacabadas entre as quais Que Viva Mexico! quinta 21, e uma selecção de momentos das duas partes de Ivan, o Terrível sexta 22.

De notar que o regime de venda de bilhetes das Histórias do Cinema é diferente do habitual: as entradas são vendidas antecipadamente para o conjunto total das sessões, e a venda no dia é limitada aos bilhetes que ficaram por vender. Uma oportunidade de luxo para os estudiosos e interessados, completada em Janeiro por dois outros ciclos já a decorrer: um dedicado à recém-falecida actriz irlandesa Maureen O'Hara, cúmplice regular de John Ford, e outro dedicado ao ano de 1966, o ano de Pet Sounds, Revolver e Blonde on Blonde durante o qual estrearam ou foram rodados Persona de Bergman, Blow-Up de Antonioni, A Batalha de Argel de Gillo Pontecorvo ou Masculino Feminino de Godard. Pormenores, horários, repetições no site www.cinemateca.pt