Três pessoas detidas em Bruxelas por planearem atentado para a noite de Ano Novo

Em Nova Iorque também houve uma detenção de um homem que planeava ataque a restaurante. Ainda na Bélgica, um jovem de 22 anos foi preso por alegado envolvimento nos ataques de Paris.

Foto
Operação policial em Molenbeek Thierry Roge / AFP

As autoridades belgas estão a tentar minimizar ao máximo o risco para a segurança da capital na noite de Ano Novo. Depois do cancelamento dos festejos, foram detidas seis pessoas na manhã desta quinta-feira por suspeitas de planearem atentados na última noite do ano. Ao final do dia, a polícia libertou três delas, mas manteve outras três detidas por, pelo menos, mais 24 horas.

As detenções foram efectuadas após sete operações distintas realizadas pelas forças de segurança em diferentes zonas de Bruxelas. Nenhum dos detidos foi ainda identificado. A polícia recolheu computadores, telemóveis e equipamento de airsoft, um jogo que envolve armas não letais, de acordo com a Reuters.

Em Nova Iorque, um homem de 25 anos também foi detido por suspeitas de planear um ataque a um restaurante esta noite.

Para além dos seis detidos, as autoridades belgas prenderam mais um suspeito de envolvimento nos atentados de 13 de Novembro em Paris. O homem, de 22 anos, foi detido na quarta-feira na sequência de uma operação policial no município de Molenbeek, perto de Bruxelas.

O suspeito – o décimo alegadamente envolvido com os ataques de Paris – tem nacionalidade belga e foi apenas identificado como Ayoub B., de acordo com uma declaração do procurador federal, citada pela AFP. O jovem foi acusado esta manhã pelo crime de “homicídio terrorista” e envolvimento em actividades de um grupo terrorista, revela ainda o comunicado. Dentro de cinco dias, o suspeito será novamente ouvido por um tribunal.

A Bélgica está em alerta máximo desde 13 de Novembro, quando vários ataques coordenados fizeram 130 mortos em Paris. A investigação aos atentados revelou que a sua preparação terá ocorrido em Molenbeek. As autoridades suspeitam que Salah Abdeslam, um dos executores dos ataques, terá fugido para Bruxelas.

Para além da relação entre Molenbeek e Paris, as autoridades belgas receiam igualmente atentados no próprio solo. Esta quarta-feira, as comemorações de fim de ano em Bruxelas foram canceladas por se temer que estivesse em preparação um ataque a “locais emblemáticos” da capital belga.

Dois homens foram detidos por alegadamente estarem a planear ataques durante as festividades. Uma fonte policial disse à AFP que os investigadores estão a tentar perceber se o gangue de motards “Kamikaze Riders” estaria envolvido. O grupo, de acordo com as declarações de um membro à imprensa local, trata-se de um clube de motociclistas que existe há 15 anos. 

"Os seus cerca de cem membros, presentes por toda a Bélgica, têm diversas origens e confissões, não apenas especificamente a religião muçulmana", explicou ao site 7sur7, Ludovic Ansel, no grupo há dez anos. Porém, alguma imprensa belga diz que no grupo há simpatizantes do grupo terrorista Estado Islâmico.

É, ao que tudo indica, o caso dos dois detidos, que terão ligações ao grupo Sharia4Belgium. Said S., um belga de 30 anos, foi acusado de actuar como "cabecilha" e de recrutar "tendo em vista cometer infracções terroristas", diz o comunicado da polícia. Mohammed K., de 27 anos, foi apenas acusado de "participação nas actividades de um grupo terrorista".