Bloco quer aceder a contrato de Sérgio Monteiro

Mariana Mortágua considera que pode haver conflito de interesses com a venda do Novo Banco caso o ex-secretário de Estado mantenha vínculo à CGD.

Sérgio Monteiro, secretário de Estado dos Transportes e Comunicações, espera vender CTT até final do ano
Foto
Sérgio Monteiro Daniel Rocha

O Bloco de Esquerda pediu ao Banco de Portugal para ter acesso ao contrato de Sérgio Monteiro, o ex-secretário de Estado que foi contratado pelo Fundo de Resolução como consultor para a venda do Novo Banco.

A deputada Mariana Mortágua defende que o “contrato deve ser público”, na medida em que o Banco de Portugal e o Fundo de Resolução são “entidades públicas”. Por isso, o BE entregou um requerimento em que é recordado que o Banco de Portugal justificou o salário pago (30 mil euros por mês) com base no vínculo mantido por Sérgio Monteiro ao Caixa – Banco de Investimento.

A bloquista diz que, se o antigo administrador da Caixa – BI ainda mantiver o vínculo, pode haver um “conflito de interesses”, já que a Caixa Geral de Depósitos é “credora” do Novo Banco. “Se houver um conflito de interesses consideramos que é inaceitável”, afirmou. 

Por outro lado, Mariana Mortágua referiu que “se Sérgio Monteiro já não é administrador do banco” – cargo que exercia antes de integrar o anterior governo PSD/CDS -  “não se percebe porque continua a auferir aquele salário”. “Persistem muitas dúvidas neste processo”, rematou.