Hélder Rosalino defende reforço de trabalhadores da administração pública

O secretário de Estado do Governo PSD/CDS-PP admitiu, no entanto, que é "mais fácil dizer as coisas do que aplicar".

O ex-governante falou sobre a reforma e modernização da administração pública.
Foto
O ex-governante falou sobre a reforma e modernização da administração pública. Enric Vives-Rubio

O ex-secretário de Estado Hélder Rosalino, que teve a pasta da administração pública no Governo PSD/CDS-PP, defendeu nesta segunda-feira que é preciso um reforço dos funcionários públicos, sobretudo em áreas-chave, para o Estado não ficar em desvantagem perante o sector privado.

"Os últimos anos foram complexos, tiveram de ser tomadas medidas que não foram fáceis e isso deixou as suas marcas, mas agora abre-se novo ciclo e nesse ciclo as políticas públicas têm de ser repensadas", considerou numa conferência em Lisboa sobre A Reforma e Modernização da Administração Pública.

O ex-governante, que entre 2011 e 2013, protagonizou um conjunto de reformas na administração pública que suscitaram a contestação dos trabalhadores, defendeu que é "preciso apostar no recrutamento selectivo, no reforço de alguns organismos e na aposta na qualificação de colaboradores" da administração pública.

Hélder Rosalino defendeu ainda que em alguns sectores o Estado tem de aumentar o nível salarial para que conserve competências e referiu-se às "áreas-chave" da saúde, jurídica e regulatória, para considerar importante o "reforço da capacidade da administração pública" para que o Estado consiga competir de igual para igual com o sector privado.

O secretário de Estado do Governo PSD/CDS-PP admitiu, no entanto, que é "mais fácil dizer as coisas do que aplicar", uma vez que o Estado "está sob fortes restrições orçamentais".

Rosalino saiu do Governo PSD/CDS-PP no final de 2013, alegando questões pessoais, tendo voltado para o Banco de Portugal, onde é agora administrador.