Menos denúncias por violência doméstica e menos crianças a assistir a crimes

Denúncias de violência doméstica diminuíram 1,7% em relação ao ano passado, anunciou esta quarta-feira a PSP.

Em 2011 houve menos 87 processos de violência doméstica do que no ano anterior
Foto
Em 2011 houve menos 87 processos de violência doméstica do que no ano anterior Paulo Pimenta

No dia em que se celebra o Dia Internacional para a Eliminação da Violência Contra as Mulheres, a Polícia de Segurança Pública revela que este ano o número de denúncias feitas por violência doméstica diminuiu 1,7% em relação ao ano passado, tal como diminuiu o número de crianças que assistiram a estes crimes, de acordo com as participações recebidas até ao início de Novembro. Os dados provisórios da PSP vão no mesmo sentido dos números divulgados esta quarta-feira pelo Observatório de Mulheres Assassinadas (OMA), que este ano já contabilizou a morte de 27 mulheres, ou seja, menos 14 vítimas mortais do que em 2014.

Além da diminuição de denúncias, uma tendência que começou em 2009, também houve uma redução de feridos ligeiros e graves (cerca de 4,3 e 5,8% em relação a período homólogo de 2014).

Os casos de menores que presenciaram episódios de violência também decresceu em relação ao ano passado, "sendo que em 2015 se registou uma diminuição de 7,2%", acrescenta a PSP, que recorda que é o sexto ano consecutivo em que o número de situações reportadas decresce. Comparando os casos registados este ano com os de 2010, houve menos 30% de crianças a presenciar estas situações.

Nos últimos doze meses, houve um reforço dos contactos periódicos com vítimas em 47.600 casos e um reforço de patrulhamento junto de residências de 16.870 pessoas, tendo ainda sido sugerido o acompanhamento de vítimas, quando solicitado, por 5230 vezes. No primeiro ano de aplicação dos novos formulários de avaliação de risco, foram elaborados 30.600 formulários e foram aplicados 35.800 planos de segurança individuais.

A PSP acrescenta ainda que tem estado a reforçar o número de acções de sensibilização, bem como os contactos individuais com vítimas de violência doméstica desde o início da semana, no âmbito da operação A Violência fica à porta. A operação mobiliza perto de mil agentes de todo o país e termina na sexta-feira.