Veste a Palavra tem T-shirts contra a violência nas montras da Feira

Três designers, três camisolas, três mensagens numa campanha de sensibilização.

Em 2011 houve menos 87 processos de violência doméstica do que no ano anterior
Foto
Em 2011 houve menos 87 processos de violência doméstica do que no ano anterior PÚBLICO/Arquivo

Esta quarta-feira é Dia Internacional para a Eliminação da Violência Contra as Mulheres e as montras das lojas da zona comercial da Cruz e do centro histórico de Santa Maria da Feira terão um aspecto assumidamente diferente. Os manequins vestem T-shirts com mensagens contra a violência. "(Con)sentes liberdade? (De)bate-te contra a violência! e (Trans)forma-te sem medo!" são as frases das T-shirts trabalhadas por três designers que vestiram a camisola, aceitaram o desafio, agarraram o conceito e criaram ilustrações.

Esta campanha com montras para as ruas chama-se Veste a Palavra e é dinamizada pelo Espaço Trevo, gabinete de apoio a situações de violência doméstica instalado há nove anos em Santa Maria da Feira. Alertar para a discriminação contra as mulheres e reforçar a consciência para a desigualdade de género são dois objectivos da iniciativa. A ideia é vestir a cidade com T-shirts estampadas com frases que fazem pensar e que ganham impacto com algumas letras colocadas entre parênteses. Além dos manequins das lojas, os funcionários de carne e osso dos vários serviços de atendimento da câmara municipal e da ALPE — Agência Local em Prol do Emprego também vestem as T-shirts que podem ser compradas, pelo preço simbólico de cinco euros, na Loja Interactiva de Turismo da Feira, no centro histórico.

Ivo Maia, Gonçalo Antunes e Paulo Merlini são os designers que graciosamente se associam à campanha. Trabalharam as frases e desenharam-nas nas T-shirts alusivas a uma efeméride especial. Na quarta-feira estarão à vista de toda a gente. O designer Ivo Maia, de Santa Maria da Feira, aceitou o convite, associou-se à causa, e deu vida à frase "(Con)sentes liberdade?" Criou uma camisola cor-de-rosa com um coração pequeno de onde sai um bando de pássaros. “Pegámos na questão da liberdade, das pessoas que vivem sem ela e que estão com os sentimentos amarrados”, revela ao PÚBLICO. O coração terá correntes penduradas. “Simboliza o quebrar, o ter coragem para se libertar”. Ivo Maia quis criar uma T-shirt especificamente para uma campanha e que isso fosse evidente. “Há uma mensagem a passar, não é uma T-shirt conceptual que poderia ser comprada em qualquer loja, é uma T-shirt de uma campanha”, sublinha. 

O Espaço Trevo quer que as palavras das camisolas disseminem mensagens de reforço contra a violência. A psicóloga Amélia Carneiro, do Espaço Trevo, adianta que a campanha quer sensibilizar para um assunto delicado e “reforçar a divulgação do trabalho que tem sido feito”. “É um convite às pessoas para que reflictam sobre as frases”, refere. Desde 2006 que o Espaço Trevo presta apoio a situações de violência doméstica, actua directamente junto das vítimas e agressores e, ao mesmo tempo, promove iniciativas e campanhas para informar, educar e alertar para estas problemáticas junto de vários públicos. Funciona como um serviço de atendimento, apoio e acompanhamento social, psicológico e jurídico. Em 2015, e até este momento, a estrutura recebeu 106 casos novos: 66 vítimas, 33 agressores e sete outros casos, sobretudo atendimentos a familiares. Os agressores chegam ao Espaço Trevo encaminhados pela Direcção-Geral de Reinserção Social.