“Actual situação política é normal em democracia”, diz Eanes

“A actual situação política é uma situação democrática normal”, disse esta sexta-feira António Ramalho Eanes, à margem de um almoço homenagem pelos seus 40 anos como máximo responsável da RTP, organizado por um grupo de trabalhadores da empresa num restaurante de Lisboa.

Eanes: "a indignação é a mãe de todos os disparates"
Foto
Ramalho Eanes

“A democracia é o conflito de ideias e de interesses, é um conflito, contudo tolerante, civil e que não utiliza armas”, considerou o antigo Presidente da República. Por isso considerou normal a actual situação política, salientando que a tensão existente faz parte.

“Não podemos olhar para a democracia como um regime de economia de tempo, a democracia são as eleições, as escolhas das eleições, é o tempo que as instituições demoram para se estabelecer, para receber os novos titulares”, disse.

Recorda-se que a posse, esta sexta-feira, do actual Governo e as já anunciadas moções de rejeição levaram sectores da esquerda política a considerar este processo como uma perda de tempo dada a inevitabilidade da queda do executivo liderado por Pedro Passos Coelho. Do mesmo modo, a adequação dos trabalhos da Assembleia da República à solução governativa também suscitou reparos, nomeadamente sobre a constituição e labor das comissões parlamentares.

Contudo, Ramalho Eanes não deixou de reflectir, de forma crítica, sobre o tom do actual debate político. “Vejo com preocupação a crispação dos dirigentes políticos que é desnecessária”, admitiu. Embora se tenha recusado a identificar a quem se referia, admitiu implicitamente vir a fazê-lo. “Só me vou pronunciar quando este ciclo político aberto pelas eleições tenha terminado”, concluiu.