Crónica de jogo

Benfica recuperou alguma tranquilidade em Aveiro

Triunfo “encarnado” sobre o Tondela. Primeira vitória e primeiros golos no campeonato fora de casa.

Jonas abriu o marcador, Guedes marcou terceiro
Foto
Jonas abriu o marcador, Guedes marcou terceiro FRANCISCO LEONG/AFP

Nem uma semana tinha passado sobre o traumático derby na Luz com o Sporting, mas o Benfica aproveitou a viagem a Aveiro para começar a sarar as feridas, com um triunfo sobre o Tondela por 0-4, no jogo que abriu a nona jornada da Liga. Com este triunfo, o seu primeiro fora de casa no campeonato, o Benfica passou a somar 15 pontos, subindo provisoriamente ao terceiro lugar.

Já o Tondela, que ainda não venceu desde que Rui Bento substituiu Vítor Paneira, mantém os seus cinco pontos e o 16.º lugar, arriscando-se a terminar a jornada em zona de despromoção dependendo do que acontecer no duelo dos últimos entre Académica (4 pontos) e Moreirense (3).

Em relação ao jogo do último domingo, Rui Vitória promoveu várias mudanças, entre as quais a estreia absoluta do jovem moçambicano Clésio Baúque, um jogador de características ofensivas adaptado ao lugar de defesa-direito. Eliseu nem no banco ficou, enquanto Sílvio mudou-se para o lado esquerdo da defesa. Talisca regressou ao “onze” para fazer dupla com Samaris no meio-campo, ficando André Almeida no banco.

Os “encarnados” começaram cedo a construir a vantagem. Logo aos 4’, Gaitán arrancou um cruzamento perfeito do lado esquerdo e Jonas, na área, cabeceou para o fundo da baliza de Matt Jones. Pouco depois, aos 11’, Jonas colocou a bola na área do Tondela e Markus Berger desviou a bola para a sua própria baliza. Era o melhor início que os “encarnados” podiam desejar, até para alguma gestão de esforço para o compromisso da próxima semana na Liga dos Campeões - e que ainda deu, na segunda parte, para a estreia de Renato Sanches, outro jovem da equipa B.

Depois de perder o guarda-redes Matt Jones por lesão aos 28’ (entrou Cláudio Ramos para o seu lugar), a equipa de Rui Bento ainda esboçou uma reacção e esteve perto do golo aos 41’, num cruzamento de Machado que Samaris desviou, mas Júlio César estava atento para corrigir a “traição” do médio grego.

No minuto seguinte, o Benfica fez o 0-3. Jonas lançou Gonçalo Guedes em contra-ataque e o jovem extremo “encarnado”, após ultrapassar Cláudio Ramos, e de ângulo difícil, fez o seu segundo no campeonato, fixando o resultado ao intervalo. Já na segunda parte, aos 82’, Carcela fez uso do seu potente remate e, de fora da área, fez o 0-4. Depois do naufrágio na Luz, e usando a metáfora náutica de Rui Vitória, o Benfica navegou de forma tranquila.