Paul Ryan eleito presidente da Câmara dos Representantes

Tem 45 anos e é o mais jovem speaker desde 1869. A sua principal missão é unir o Partido Republicano e, ao mesmo tempo, dialogar com o Partido Democrata.

Paul Ryan (à esquerda) com o antecessor, John Boehner
Foto
Paul Ryan (à esquerda) com o antecessor, John Boehner Jonathan Ernst/Reuters

O cargo de presidente da Câmara dos Representantes, um dos mais importantes da política norte-americana, mudou esta quinta-feira de mãos, para o republicano Paul Ryan. O novo speaker assume funções depois de o seu antecessor, John Boehner, ter sido empurrado para fora da liderança por membros do seu próprio partido, agrupados numa ala ultraconservadora minoritária mas poderosa.

Boehner era líder da câmara baixa do Congresso dos EUA (a câmara alta é o Senado) desde 2010, quando o Partido Republicano recuperou a maioria, mas com o passar do tempo foi ficando debaixo da mira dos seus colegas de partido mais próximos do movimento Tea Party.

Durante o confronto com a Casa Branca em 2013 sobre a aprovação do Orçamento para 2014, John Boehner acabou por ceder à pressão dessa minoria no interior do seu partido e o resultado foi uma paralisação do Governo federal (shutdown).

Ainda assim, o facto de ter chegado a outros compromissos com o Partido Democrata fez dele um alvo a abater pelos representantes do Partido Republicano mais à direita, que não abrem mão das promessas que fizeram aos seus eleitores em 2010, como o fim da reforma do sistema de saúde introduzida pelo Presidente Barack Obama – com a Casa Branca a prometer vetar qualquer legislação nesse sentido, a ala mais radical do Partido Republicano defende que a resposta deve ser dada no Congresso, ainda que isso possa resultar num novo shutdown.

Quando John Boehner atirou a toalha ao chão, há um mês, começaram as movimentações no interior do Partido Republicano para a escolha do seu sucessor, que culminaram esta semana com a indicação e eleição de Paul Ryan.

Apesar de não ter sido apoiado pela ala mais radical nas votações internas no Partido Republicano, na quarta-feira (teve 200 votos, contra 43 de Daniel Webster), Ryan acabou por merecer a confiança no momento da eleição geral, esta quinta-feira.

Aos 45 anos de idade, o mais jovem speaker da Câmara dos Representantes desde 1869 tem como maior desafio voltar a unir o Partido Republicano e, ao mesmo tempo, ir ao encontro dos apelos dos eleitores norte-americanos para que os políticos de Washington, republicanos e democratas, dialoguem mais e aprovem legislação mais rapidamente.

É uma tarefa difícil, mas uma parte desse trabalho foi feita pelo seu antecessor, que negociou nos últimos dias um Orçamento com o Partido Democrata que prevê o aumento do limite do endividamento – a aprovação desse Orçamento foi contestada pelos republicanos mais à direita, mas Paul Ryan tem agora um ano e meio pela frente sem ter de se preocupar com a questão que mais tem causado divisões no Partido Republicano.