Esquerda revela acordo no dia 10 de Novembro

Compromisso foi assumido pelo novo líder parlamentar do PS logo após ser eleito.

Foto
Carlos César é o novo líder parlamentar do PS Nuno Ferreira Santos

O recém-eleito líder parlamentar do PS apontou, esta quarta-feira, o próximo dia 10 de Novembro como a data prevista para revelar aos portugueses o acordo entre os partidos da esquerda que suportará o Governo alternativo que António Costa tem dito estar em condições de formar.

Carlos César falou no Parlamento, após a reunião do grupo parlamentar onde foi anunciada a eleição da liderança parlamentar. A divulgação “ficará associada ao momento em que for discutido o programa de Governo [da coligação]”, disse o socialista.

Uma vez que a conferência de líderes agendou esse debate para os dias 9 e 10 de Novembro, estas datas serão o momento a que César se referiu. O novo líder parlamentar confirmou também que “naturalmente” esse acordo será escrito e “transparente”, apontando mesmo para um “acordo de legislatura”, por oposição a um “acordo de investidura”.

As declarações foram proferidas pouco depois do anúncio da eleição interna. A nova liderança da bancada parlamentar do PS foi eleita com mais de 83% dos votos dos 85 deputados que participaram. A lista encabeçada por Carlos César recebeu 71 votos a favor, 5 contra e 9 votos em branco.

Além de Ana Catarina Mendes – indicada como 1.ª vice-presidente – e Pedro Nuno Santos (ambos  têm estado nas negociações com os partidos da esquerda), a nova liderança parlamentar inclui nomes como Rocha Andrade (um socialista muito próximo de Costa, que está no secretariado do PS e que o acompanhou nos seus cargos governativos), José Apolinário (perito em assuntos relacionados com o mar e pescas), Helena Freitas (vice-reitora da Universidade de Coimbra) e João Galamba (que faz também parte do secretariado).

Além destes estão também na lista a ex-secretária de Estado dos Transportes Ana Paula Vitorino, a ex-presidente da Câmara de Odivelas Susana Amador, Pedro Delgado Alves, e o presidente da maior distrital socialista, José Luís Carneiro.