Quanto custa ver todas as séries de que se fala?

Acompanhar tudo o que está a ser feito pode levar tempo e custar algum dinheiro. Fizemos as contas.

Foto
A Guerra dos Tronos é hoje uma das séries mais mediáticas – o SyFy acompanha as transmissões nos EUA, enquanto as primeiras três temporadas podem ser vistas no TVSéries e no NPlay (da Nos) DR

Guerra dos Tronos, House of Cards, Segurança Nacional, Walking DeadEmpire, Orange Is The New Black, Gotham, Veep, Transparent, Como Defender um Assassino, Downton Abbey, American Horror Story. Esta pode ser uma lista sem fim, ou não fosse uma tendência a aposta das televisões em séries. A fasquia está cada vez mais alta e a concorrência entre produtoras e canais reflecte isso mesmo. Se hoje quisermos estar a par das séries do momento, aquelas que ora dão que falar nas redes sociais, oram ganham prémios, precisamos não só de ter tempo como também algum dinheiro. Fizemos as contas.

Não nos aventurámos a fazer contas ao tempo, apenas porque isso dependerá das horas que cada pessoa tem disponível semanalmente. Haja tempo e episódios não faltarão, principalmente desde que as televisões têm a possibilidade de se andar para trás sete dias e assim poder recuperar programas perdidos. Os canais, esses, têm uma oferta diária. Veja-se por exemplo a Fox, onde às segundas-feiras podemos ver Walking Dead, às terças Gotham, às quartas Scorpion, às quintas Segurança Nacional, deixando para as sextas a exibição de um filme, à semelhança do que acontece em canais concorrentes. Ao fim-de-semana repetem-se, por vezes, alguns episódios, juntamente com filmes ou séries menos destacadas (muitas das quais funcionam sem fio condutor que obrigue a seguir a trama, ou seja, cada episódio é uma nova história/um novo caso – Mentes Criminosas ou C.S.I. são disto exemplo). Com a chegada do Netflix a Portugal, a ginástica para acompanhar o ritmo televisivo é ainda maior. 

Resumimos as nossas contas às três maiores operadoras do mercado português: a Meo, a Nos e a Vodafone. Começámos por ligar para o apoio ao cliente de cada uma e chegámos à conclusão de que por telefone se conseguem preços mais vantajosos do que aqueles publicados nos sites. Uma nota: ficámo-nos pelos serviços de fibra, embora o preço já não varie muito dos restantes. Para ter Netflix, é necessária uma ligação à Internet e por isso fazemos contas aos pacotes completos (televisão+Internet+telefone) na sua versão mais simples.

O preço não varia muito nas três operadoras. Enquanto na Meo, por 35,99 euros, temos 145 canais (dez são dedicados a filmes e séries, alguns dos quais se desdobram numa versão de alta definição), na Nos, pelo mesmo preço, temos 158 (11 de séries e filmes). Já na Vodafone, a mensalidade é mais baixa, 25,90 euros, mas também a oferta é menor – 120 canais (9 de filmes e séries). Nesta operadora, é possível fazer um upgrade e, por mais 7,90 euros, ter mais 30 canais (passando assim a ter 12 dedicados ao tema por um total de 33,80 euros). 

Mas fiquemo-nos pelos pacotes básicos, sem acrescentos. São muitas as séries de destaque da actualidade que conseguimos ver. Como as já mencionadas sexta temporada de Walking Dead e quinta temporada de Segurança Nacional na Fox; Empire no Fox Life, onde passa também Dowton Abbey ou Anatomia de Grey; Como Defender um Assassino, série que valeu o histórico Emmy a Viola Davis, e que vai ter a segunda temporada no AXN, em Dezembro; e a muito aguardada sexta temporada de Guerra nos Tronos, que passará em 2016 no Syfy.

A oferta é vasta mas não é completa. Existe ainda o canal premium TVSéries que desde o Verão passou a ser também a casa da HBO, o que significa que todas as novas séries da produtora norte-americana irão estrear em Portugal através deste canal. É, por exemplo, por causa do TVSéries que o Netflix não tem em Portugal a sua primeira grande produção de sucesso, House of Cards. A quarta temporada da saga estreia-se aqui em exclusivo em Fevereiro do próximo ano. As novas temporadas de Fargo (estreia neste domingo), Transparent (Dezembro), Masters of Sex (Julho de 2016) ou Ray Donovan (Julho de 2016) também só podem ser vistas aqui, canal que nos dará em Novembro Wicked City ou a já aclamada Mr Robot.

Ora, a subscrição do TVSéries acrescenta à factura cinco euros (2,50 euros na Vodafone), ou dez euros, se quisermos também os quatro TVCine – segundo a informação do canal, é nos TVCine que estreiam em televisão todos os filmes em Portugal (Boyhoood: Momentos de uma Vida e O Hobbit: A Batalha dos Cinco Exércitos são destaques deste mês). Fazendo a soma ao pacote completo, vamos já em 45,99 euros no Meo e na Nos e em 35,90 euros na Vodafone.

E depois há finalmente o Netflix, que cada vez mais tem apostado em séries próprias. Em Portugal, não teremos House of Cards, mas teremos, ao contrário do que foi inicialmente anunciado, Orange Is The New Black, a série sensação da Netflix, recorrentemente nomeada para os Emmys – ainda este ano, Uzo Aduba venceu na categoria de Melhor Actriz Secundária. Narcos, a série protagonizada pelo brasileiro Wagner Moura sobre o traficante Pablo Escobar, Sense8 ou as sagas das Marvel, Demolidor ou Jessica Jones (estreia em Novembro), são outras das ofertas do serviço de streaming, cujo catálogo se estende aos filmes.

Em Portugal, o plano base (um ecrã em SD) tem o preço de 7,99 euros por mês, estando ainda disponíveis o plano standard (dois ecrãs em HD) por 9,99 euros e o plano premium (quatro ecrãs em Ultra HD 4K) por 11,99 euros. Com o plano mais simples, a factura sobe assim para 53,98 euros na Meo e na Nos (55,98 ou 57,98 nos planos mais caros) e 43,89 euros na Vodafone (45,89 ou 47,89).

Agora é escolher e fazer as contas.