Brasil soma primeira vitória na corrida ao Mundial 2018

Selecção “canarinha” bateu a Venezuela em Fortaleza. André Carrillo saiu lesionado na derrota do Peru frente ao Chile.

Willian bisou na vitória caseira da selecção brasileira
Foto
Willian bisou na vitória caseira da selecção brasileira REUTERS/Paulo Whitaker

O Brasil conseguiu nesta terça-feira a primeira vitória na zona sul-americana de apuramento para o Mundial de 2018, ao bater em casa a Venezuela por 3-1, em encontro da segunda jornada, disputado em Fortaleza.

Um “bis” de Willian, que marcou logo os 35 segundos e aos 42 minutos, e um tento do veterano (35 anos) Ricardo Oliveira, aos 74, selaram o triunfo dos “canarinhos”, que se haviam estreado com um desaire por 2-0 no Chile.

Único totalista em Mundiais, o Brasil, que ainda não contou com o castigado Neymar, soma três pontos, enquanto a Venezuela, única selecção sul-americana que nunca conseguiu o apuramento para a fase final, mantém-se a zero.

Nos forasteiros, John Murillo, jogador emprestado ao Tondela pelo Benfica, entrou ao intervalo, enquanto, nos anfitriões, foi grande a festa após a entrada do Bola de Ouro Kaká (33 anos), aos 75 minutos. Quase marcou aos 87.

Ao contrário do Brasil, a Argentina manteve-se sem vencer e marcar, ao empatar a zero no Paraguai, após o desaire caseiro com o Equador (0-2).

Novamente sem o capitão Lionel Messi, a formação vice-campeã mundial e sul-americana em título voltou a não conseguir facturar, apesar das muitas oportunidades, sendo que, desta vez, também não sofreu.

O benfiquista Nicolás Gaitán, que não havia sido utilizado face aos equatorianos, entrou apenas aos 84 minutos, substituindo Ezequiel Lavezzi.

A formação “albi-celeste”, que procura a 17.ª presença no Mundial e 12.ª consecutiva (desde 1970), soma um ponto, enquanto o Paraguai, que vencera por 1-0 na Venezuela, conta já quatro, na corrida a uma nona participação na fase final.

No primeiro posto segue o Uruguai, que somou o segundo triunfo, ao superar em casa a Colômbia por 3-0, depois da vitória na Bolívia por 2-0.

Os uruguaios, com o portista Maxi Pereira todo o jogo, venceram com tentos do central e capitão Diego Godin, que já havia facturado em La Paz, aos 34 minutos, Diego Rolan, aos 51, e Abel Hernández, aos 88.

Nos forasteiros, que tinham triunfado por 2-0 na recepção ao Peru e procuram a sexta presença no Mundial, o sportinguista Teofilo Gutiérrez foi substituído aos 58 minutos e Juan Cuadrado expulso aos 90+3.

Com os mesmos seis pontos do Uruguai (5-0 em golos), que procura a 13.ª presença e terceira consecutiva na fase final, segue o Equador (4-0). Os equatorianos, que na primeira ronda surpreenderam com um triunfo na Argentina por 2-0, repetiram o resultado na recepção à Bolívia, com tentos de Miller Bolaños, aos 81 minutos, e do ex-“leão” Felipe Caicedo, de penálti, aos 90+5.

O Equador está, assim, bem encaminhado para chegar à fase final do Mundial, pela quarta vez e segunda consecutiva, ao contrário da Bolívia, que continua a zero.

Peru perde, Carrillo lesiona-se
Também o Chile somou na terça-feira a segunda vitória na zona sul-americana de apuramento para o Mundial 2018, depois de bater o Peru por 4-3, em Lima, num jogo em que André Carrillo foi titular e saiu lesionado.

O jogador do Sporting, alvo de um processo disciplinar por se recusar a renovar contrato com os “leões”, saiu pouco antes do intervalo, deixando temporariamente o Peru reduzido a nove jogadores, já que Christian Cueva tinha sido expulso aos 23 minutos.

No final do jogo, o departamento médico da selecção peruana adiou para hoje mais pormenores sobre a lesão contraída pelo avançado do Sporting, depois de Carrillo se submeter a uma ressonância magnética.

Relativamente ao jogo, disputado no Estádio Nacional de Lima, Alexis Sanchez inaugurou o marcador para os campeões sul-americanos, logo aos sete minutos, uma vantagem curta que durou apenas três minutos.

Um “bis” de Jefferson Farfán, aos 10 e 36 minutos (o segundo de grande penalidade), deu a volta ao marcador para os anfitriões, mas mais dois golos de rajada dos chilenos, marcados por Eduardo Vargas (41) e Alexis Sanchez (44), colocaram os visitantes em vantagem ao intervalo, por 4-2.

Sem Carrillo, substituído por Yordy Reyna, e com menos um jogador, o melhor que o Peru conseguiu foi reduzir para 4-3, já em período de compensações, por intermédio de Paolo Guerreiro.

Esta foi a segunda derrota consecutiva do Peru neste torneio de apuramento, depois de se ter estreado com um desaire na Colômbia por 2-0. Por seu turno, o Chile alcançou o segundo triunfo, depois de ter arrancado esta qualificação com uma vitória sobre o Brasil por 2-0.

Os quatro primeiros classificados da zona sul-americana (18 jornadas) qualificam-se para a fase final do Mundial de 2018, que se vai realizar na Rússia (14 de Junho a 15 de Julho), enquanto o quinto disputa um play-off intercontinental.