"Estou magoado com a falta de oportunidades que tive no Benfica"

Bebé lamenta nunca ter tido hipóteses reais de mostrar o seu valor no clube da Luz. Emprestado ao Rayo, espera realizar uma boa época em Espanha e despertar a atenção de clubes de maior dimensão. Quanto à sua prematura ida para Manchester, se fosse hoje, teria recusado.

Foto
Bebé queixa-se de não ter tido muitas oportunidades no Benfica JOSE MANUEL RIBEIRO/AFP

Como está a correr a sua experiência no Rayo Vallecano?
Está a correr bem. Estou a adaptar-me muito bem à equipa, ao que o mister pretende de mim, estou a aprender cada vez mais. O treinador Paco [Jémez] está a ensinar-me muitas coisas que o meu futebol não tinha e estou a adaptar-me a tudo isso. As coisas estão a correr bem.

Sente que é isso que ainda lhe falta na carreira, que ainda tem muito para aprender?
Sim, todos os dias aprendo. Com este treinador estou a aprender muita coisa. Estou bastante contente por ter vindo para aqui e estar a jogar. As coisas estão a correr bem.

O Rayo é um clube melhor do que o Córdoba, onde esteve a época passada também por empréstimo do Benfica?
Sim, sim. Aqui há jogadores com mais experiência que sabem o que fazem em campo e levam as coisas mais a sério. Acho que estou num clube em que posso alcançar aquilo que pretendo.

Leva seis jogos, todos eles como titular. Acha que está num dos melhores momentos da sua carreira?
Posso dizer que sim. Adoro o campeonato espanhol, estou a adorar estar aqui. Penso que estou num momento muito bom. Claro que quero marcar mais golos, mas estou num momento muito bom, a jogar com a equipa, a fazer assistências, a fazer golos...

Já jogou em Inglaterra, Portugal, Espanha... Qual é o campeonato que acha mais competitivo e aquele que pensa que se adapta melhor às suas características enquanto jogador?
Neste momento o espanhol, porque tenho espaço para jogar. A equipa gosta de ter bola e isso é bom para mim. É uma equipa que gosta de atacar, não gosta de ficar atrás a defender e isso para mim é muito bom.

A sua carreira ficou muito marcada pela sua transferência para o Manchester United. Acha que andou demasiado depressa? Se pudesse voltar atrás hoje, iria mais devagar?
Sim. As oportunidades são para se aproveitar mas se pudesse voltar para trás iria mais devagar. Quando me disseram para ir para Manchester se calhar teria dito que não e ficaria um ano ou dois anos mais em Portugal, para ter experiência e depois então teria ido para Manchester.

Acha que as pessoas olham para o Bebé como um jogador que, apesar de só ter 25 anos, não foi capaz de ter sucesso por causa do que aconteceu em Manchester?
Antes pensava muito nisso, porque as pessoas comentam muito essa situação, mas agora já não. A vida é assim. Temos que aproveitar os momentos. Não tinha muita experiência, vinha da III Divisão... mas já esqueci isso. Agora sou muito mais maduro, já sei ler o jogo, jogar de outra forma. Se fosse agora, a opinião das pessoas seria diferente.

Considera que, provavelmente, também chegou ao Benfica cedo demais?
Não, não concordo que tenha chegado ao Benfica cedo demais. Apenas penso que não tive oportunidades. As pessoas dizem 'Tens que te afirmar no Benfica, tens que dar mais' mas tenho que dar mais se tiver oportunidades. Não é colocarem-me em campo 10 minutos. Eu em 10 minutos não posso resolver um jogo, não posso mostrar aquilo que eu sei. Aqui sim, estou a ter oportunidade de me mostrar. O mister mete-me a jogar. Não tenho na cabeça que o mister me vai tirar no próximo jogo ou que me vai dar apenas 10 minutos ou 15 minutos. Por isso tenho confiança para mostrar aquilo que eu sei.

Esteve poucos meses no Benfica, depois foi logo emprestado. Falou com o treinador da altura, Jorge Jesus, sobre os poucos minutos que tinha de utilização?
É óbvio. Aprendi muito com o mister Jorge Jesus, como defender..., mas na minha opinião devia ter-me dado mais oportunidades. Acho que o Benfica tem bons jogadores na minha posição, mas penso que merecia mais oportunidades. Se me quiseram contratar foi porque acharam que eu tinha algum potencial.

Mas agora já não está lá Jorge Jesus, está Rui Vitória. Quando olha para a sua carreira futura a curto prazo, pensa que com Rui Vitória poderá ter as oportunidades que não teve com Jorge Jesus?
Não sei, sinceramente não sei. Se calhar, podia-me ter dado essa oportunidade agora e não teria vindo para aqui. Se não o fez... Mas estou vivo, estou a jogar aqui, num bom campeonato, agora tenho que marcar golos e ajudar o Rayo a alcançar os objectivos.

Está magoado com a falta de oportunidades que o Benfica lhe deu?
Sim, posso dizer que sim porque acho que merecia mais. É fácil as pessoas dizerem 'tens que trabalhar mais', mas as pessoas não sabem o que vai na cabeça do mister e se ele não dá oportunidades, não posso mostrar o meu valor.

Então quer dizer que não perde um segundo da sua vida a pensar no Benfica e num regresso?
Não, não, eu penso em voltar ao Benfica. A minha cabeça está aqui. Vou tentar marcar o máximo de golos possível, tentar fazer um bom campeonato para, para o ano, ter várias equipas interessadas e depois, se o Benfica não me quiser, ter várias possibilidades de escolha. Mas o meu objectivo é ficar no Benfica, fazer uma carreira bonita no clube, porque gosto do Benfica, porque é uma equipa grande.

E na selecção? Também pensa nela?
Sim, mas para isso preciso de estar bem, marcar golos e não é fácil. Mas é um dos meus sonhos que me falta cumprir.

Sabe se tem sido observado pela equipa técnica?
Não tenho pensado nisso. Se continuar a jogar como tenho jogado, vai chegar uma oportunidade para ir à selecção.

Ainda sonha voltar ao Manchester United?
Nunca pensei nisso mas nada é impossível. Se fizer 10 golos na Liga espanhola, de certeza que posso voltar a uma equipa grande. Se marcar 10 golos aqui vou ter muitas equipas grandes atrás de mim para o ano.

Quando assinou com o Manchester United, imaginava esta carreira um pouco irregular?
Não, não imaginava. Pensava que ia ficar ali e que ia correr tudo bem, mas depois com o tempo, vi que as coisas não eram assim. Vinha da III Divisão, não conhecia nada, não estava habituado àquela dimensão. Era muito jovem, não tinha experiência em estar sozinho. Saí de perto da minha família, do colégio e fui para um sítio cheio de craques, habituados a ganhar tudo... Foi difícil.

O que pensa sobre o campeonato português?
Penso que o campeonato português já esteve melhor. Este ano vai ser mais competitivo entre os três grandes. O FC Porto reforçou-se bem, o Benfica também ,embora não esteja tão bem como devesse estar, mas julgo que vai melhorar e o Sporting também está bem.

Você que trabalhou com Jorge Jesus, acha que o Sporting fica muito mais forte tendo-o a ele como treinador?
Sim, sem dúvida. Faz a diferença e trabalha muito. É muito sério naquilo que faz. Treina muito tacticamente. Dos treinadores que já apanhei, penso que é o melhor.

Tem 25 anos. Ainda vamos ouvir falar muito do Bebé?
Sim, se continuar a trabalhar como tenho feito até aqui e não baixar a cabeça, de certeza que vão ouvir falar.