Editorial

Um crime em Angola e será golpe do Estado

O MNE português está a acompanhar o assunto “com muita atenção”, e só lhe fica bem dizê-lo, mas o agravamento do estado de saúde de Luaty Beirão exige alertas maiores. Ele é, como todos sabem, um dos 15 presos políticos que continuam encarcerados desde 20 de Junho por determinação do regime de Luanda. A acusação, que soará bizarra aos ouvidos mais desatentos, é a de intentarem um golpe de Estado contra o Presidente José Eduardo dos Santos, golpe esse que fariam com “barricadas” e “desobediência civil”. A isto já várias personalidades, angolanas e outras, reagiram, exigindo a sua libertação. Mas como a detenção continua, Luaty Beirão (um conhecido rapper angolano) iniciou uma greve de fome e mantém-se firme em levá-la até ao fim. Se ele morrer, e esperemos que não, haverá um crime em Angola e não é golpe de Estado, mas um golpe do Estado contra um inocente. E os governantes terão as mãos manchadas com o seu sangue.

Sugerir correcção