Ciudadanos surge como terceira força política em Espanha

A dois meses das legislativas, partido de Albert Rivera, que está a roubar votos aos populares e aos socialistas, ultrapassa o Podemos em sondagem.

Albert Rivera pode ser essencial para a formação do próximo governo de Madrid
Foto
Albert Rivera pode ser essencial para a formação do próximo governo de Madrid CESAR MANSO/AFP

O Ciudadanos está a posicionar-se junto do eleitorado espanhol com o terceira força política, revela uma sondagem publicada este domingo no El País que também dá um empate entre o Partido Popular (PP) e o Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE).

A sondagem, diz a análise do jornal espanhol, confirma a mudança da paisagem política, até aqui dominada por duas formações (PP e PSOE têm governado a Espanha democrática), com a explosão do multipartidarismo parlamentar e a possibilidade de um novo partido ser decisivo para a formação do próximo governo. Esse papel poderá ser do Cidadanos.

A quase dois meses das eleições legislativas, que se realizam a 20 de Dezembro, o Cidadanos (centro-direita, partido que nasceu na Catalunha há nove anos e só agora se impôs a nível nacional), dirigido por Albert Rivera, ultrapassa em intenções de voto o Podemos, a jovem formação de esquerda surgida em 2014 e liderada por Pablo Iglesias.

Nesta indicação de voto (realizada pela Metroscopia a 7 e 8 de Outubro e com uma margem de erro de 2,9%), o PSOE surge com 23,5% das intenções de voto, o PP com 23,4%, o Ciudadanos obteve 21,5% (subiu oito pontos desde Setembro) e o Podemos 14%, tendo vindo a descer nos últimos meses. A Esquerda Unida surge com 5,4% das intenções de voto.

O impulso do Ciudadanos, dizem os analistas, prende-se com o bom resultado da formação de Rivera nas recentes eleições regionais na Catalunha. Na edição deste domingo, o jornal El Mundo apresenta o comportamento do eleitorado na Catalunha e esses números, diz, revelam que 29,9% dos eleitores que em 2012 ali deram o seu voto ao PP, optaram agora pelo Ciudadanos. "Mariano Rajoy [PP, o actual presidente do Governo] tem motivos para se preocupar" nas legislativas, concluiu o jornal.

A análise do El País diz que "nada está decidido sobre quem formará governo, mas tudo aponta para que Mariano Rajoy e Pedro Sánchez [PSOE] cortejem Albert Rivera". O jornal refere que houve um deslocamento de votos socialistas para o Cuidadanos e que o partido de Sánches pode procurar atrair eleitores que, até há pouco tempo, se inclinavam para o Podemos.