À noite, no Gerês, quem quer andar pelos caminhos das bruxas?

No dia em que o mistério e o oculto tomam conta das ruas, no Gerês aposta-se no “trilho das bruxas”, uma caminhada que alia a história do local às lendas.

Foto
Não faltam recantos no Gerês que potenciam a imaginação Paulo Ricca

São apenas cinco quilómetros de trilho, mas recheados de lendas e pedaços de história do Gerês. No dia 31 de Outubro, algumas entidades turísticas locais organizam uma caminhada que alia o contacto com a natureza à história da região, numa iniciativa cuja primeira edição se realizou o ano passado. Haverá recriação de lendas, uma queimada com esconjuro e animação para celebrar a vida e afugentar as bruxas.

Em época baixa, estas actividades acabam por atrair mais turistas à região, como sublinha o técnico da Gerês Viver Turismo, Jorge Coelho – “o impacto é superior à duração do evento, tem um impacto positivo não só na altura, mas também na captação de públicos para outras épocas”.

O trilho, que começa às 21h30, terá quatro paragens pré-definidas, onde as lendas da região, que ganham um novo relevo no dia das bruxas, serão teatralizadas – “Haverá a representação d’A luz do Veiga’, que se baseia na lenda de uma luz que passava ao longo do rio, que seria um fantasma de alguém desaparecido”, sublinha Jorge Coelho, que acrescenta – “esta representação foi feita o ano passado, mas a versão será melhorada”. O público poderá esperar outras representações, todas elas relacionadas com o sítio onde se insere a caminhada – mas o técnico de turismo prefere não revelar, fomentando assim o mistério que envolve o dia e o evento.

Há, no entanto, mais para explorar no que ao trilho diz respeito. Quem quiser percorrer este percurso, pode também contar com diversas pausas para reconhecimento do território – “Vamos aproveitar para explicar elementos mais factuais dos locais por onde se passa, como é exemplo um espaço pertencente ao caminho que, pela sua proximidade com Espanha, foi em tempos uma rota de contrabando”, destaca Jorge Coelho.

Ao todo, o percurso tem uma duração prevista de duas horas e meia. A organização optou por não limitar o número de inscrições, mas a expectativa é que estas ultrapassem os números do ano passado, que rondaram os 90 inscritos. “Em 20 horas tivemos já 15 inscrições. Tendo em conta que esta não é uma zona urbana, e que ainda falta um mês para o evento, o número torna-se expressivo”, adianta o técnico, que acredita que o aproximar da data e a divulgação das condições climatéricas influenciarão uma inscrição mais tardia. Este é, aliás, o entrave que considera que condicionou a adesão da anterior edição, uma vez que 40% das pessoas acabou por não aparecer devido ao mau tempo. No entanto, a actividade mantém-se independentemente da meteorologia, como alertam no site.

A organização do evento resulta numa parceria entre a Câmara de Terras do Bouro, a Gerês Viver Turismo e parques turísticos da região, nomeadamente a EquiDesafios, a EquiAventura e o Parque Cerdeira. "Estas parcerias são o elemento base de todas as acções que desenvolvemos. Dinamizamos várias actividades, com o intuito de fomentar o desenvolvimento económico das entidades, mas temos também o apoio da câmara, que fornece o apoio logístico necessário”.

O trilho das bruxas, gratuito para crianças até aos 12 anos e com um custo de 5 euros para os restantes, tem inscrição obrigatória através do site ou na página do Facebook.

Texto editado por Ana Fernandes