Bruno de Carvalho: “Benfica não tem 6 milhões de adeptos, são 4,5 milhões”

Presidente do Sporting ao ataque também não poupou o FC Porto das críticas.

Foto
O presidente do Sporting, Bruno de Carvalho Enric Vives-Rubio/PÚBLICO (arquivo)

“Estivemos em casa no Bessa e ninguém o focou nas intervenções nas televisões. O sentimento era mútuo. Estávamos tristes porque esperávamos ser líderes isolados e não o pudemos fazer, e por isso estamos tristes. O nosso treinador foi claro. Não há aqui desculpas ou rodeios, estamos tristes. Mas há uma coisa que os sportinguistas não se podem esquecer. O Sporting tem de deixar de ser aquele clube que passa do estado de euforia para a depressão. Estamos em primeiro lugar, e foi essa uma das promessas que fizemos. Entendam que o campeonato é uma maratona, onde vamos ter de ser mais fortes, fazer mais e melhor. Onde vamos ter de fazer triplamente mais e melhor porque infelizmente os erros continuam a ser uma constante, sempre para o lado do nosso clube. Não posso deixar de lamentar o uso de pirotecnia. São multas avultadíssimas. Tenham a completa noção de que cada vez que fazem isso estão a prejudicar fortemente o Sporting”, começou por dizer o líder da direcção dos "leões", antes de revelar que as obras do novo pavilhão do clube estarão concluídas em 2017 e já foram pagas.

“Março de 2017, pavilhão João Rocha. Não gastámos ou deitámos fora. Vamos outra vez ganhar o nosso espaço. Se perdermos, na SAD arranjaremos solução, mas ao clube já ninguém tirará um património. Portanto esses facebooks escusam de esfregar as mãos se perdermos com a Doyen, porque aquele pavilhão, que não ia sair do buraco, está pago, Perguntam logo: pago como? Com dinheiro. Pegámos em dinheiro e pagámos. Querem saber com que caneta foi... Foi por transferência bancária. Está pago, Março de 2017. Por esta direcção e por estes órgãos sociais. Esteja aqui o Bruno, António, Luís, Maria, o pavilhão vai ser feito e está pago. Interessa-me o orgulho em presidir ao Sporting e que vou ter todos os dias de passar por aquele pavilhão. Muito deste dinheiro vem de mais de 10 mil sportinguistas que participaram na Missão Pavilhão. Faltam ainda perto de 400 mil euros, peço que terminem a missão. Confiamos que vão terminar, e vamos iniciar no próximo mês as obras no multidesportivo. Voltaremos a ter um multidesportivo digno do Sporting Clube de Portugal”, revelou Bruno de Carvalho, que está optimista em relação ao diferendo que opõe o conjunto leonino à Doyen, caso que começou após a transferência de Marcos Rojo para o Manchester United na época passada.

“O Sporting tem toda a razão no caso Doyen. Não temos dúvidas daquilo que colocámos, mas não fazemos a mínima ideia do que vai ser a decisão. Sabemos que há muitos inocentes dentro de prisões e culpados fora delas. Se houver justiça ganhamos, se não houver podemos perder ou pouco ou tudo. A SAD recorrerá para os tribunais. Se perdermos de um lado, temos a certeza de que ganharemos do outro”, apontou.

Após abordar os temas mais actuais do clube, Bruno de Carvalho partiu para o ataque e disparou em todas as direcções. “O centro dos problemas começa sempre nas tais páginas de apoio ao Sporting. Um presidente do Sporting tem de ter respeito a falar de um rival e um presidente não pode chamar ao Benfica Carnide [como o fez Bruno de Carvalho na sua página da rede social Facebook]. Concordo, mas também é preciso saber ler. E alguns fingem que não sabem. O que eu disse foi que apesar de termos desmentido o interesse a um jogador [Zivkovic], saiu uma notícia e eu disse que o jogador estava muito mais perto de Carnide do que de Alvalade. O Benfica fica em Carnide, errei porque o Sporting fica no Lumiar. Não tenho problema nenhum em dizer o nome Benfica. Reconhecemos que é uma grande instituição. Depois a maior parte dos seus comentadores televisivos são a minha fonte de alegria. Às vezes estou a ver televisão e faz-me lembrar uns nenucos gordos que eu dava às minhas filhas e que diziam 'papá mama, papá mama'. Parecia verdade, mas não deixava de ser um nenuco gordo que debitava o que lhe meteram no gravador. Termos feito alguma contratação já foi bom. O Cervi, parece que é público que apresentou proposta de 6 milhões de euros e que o Benfica contratou por 4,6 milhões de euros. Aprendi a matemática reversiva, é o único negócio onde se paga menos. Se quiséssemos o Mitroglou já o tínhamos há muito tempo. O treinador do Sporting preferiu o Teo e renovar com o Slimani. O Sporting não pode ter os jogadores todos, fez um grande investimento este ano e arriscámos muito no que fizemos. Recebo mensagens a dizer que perdi o Mitroglou. Não chego a todos, mas mesmo assim os especialistas reconhecem que temos o plantel mais valioso. Vai deixar de ser em Junho porque o Cervi chega ao Benfica e vale no mínimo 200 milhões”, começou por dizer, acrescentando de pronto que o rival da Segunda Circular tem menos sócios e adeptos do que aqueles que menciona.  

“Somos mais de três milhões. Somos quase 3.5 milhões. Há uma coisa que me irrita: é que sejam os próprios sportinguistas a caírem no mito que nos prejudica nos patrocínios, naquela treta de no Benfica serem seis milhões. Não são seis milhões, nem 14 milhões, são mais ou menos 4,5 milhões. Vejam lá se os sportinguistas deixam de cair esse mito urbano. Somos fortes, uma grande marca e podemos chegar mais longe. Não queremos cair mais nas esparrelas. Temos quase os mesmos sócios, nós vamos tirando as pessoas que morrem das nossas listas, enquanto outros os mantiveram lá durante 100 anos”, frisou.

Depois do Benfica, o FC Porto e a transferência que levou Danilo Pereira do Marítimo para a Invicta. “Danilo esteve no Sporting? Essa declaração deixou-me furioso. Esteve em Alvalade e ninguém me disse. Foi o primeiro a ensinar-me a matemática reversiva. Demorou 48 horas a fazer um contrato por 4,5 milhões de euros, fechámos o acordo com o jogador em 48 horas e, pelo que é público, o negócio foi feito por 3,8 milhões de euros para o FC Porto. Danilo é do FC Porto desde pequenino. Os seus genes foram sempre o FC Porto. A nossa contabilidade é limpa e isenta, só temos canetas, folhas e computadores, não temos sacos para por fruta. Euros iguais a Norte e a Sul? Essa frase marcou-me, ficámos a saber que a prostituição é igual no continente e nas ilhas”, disse.

Bruno de Carvalho deixou uma mensagem de esperança aos adeptos e sócios leoninos. “O Sporting teve um troféu [Supertaça Cândido de Oliveira] e venceu. Não entrou na fase de grupos da Champions e todos já perceberam porquê. Mão na bola do adversário não é penálti nem motivo de anular golo. Golo do Sporting pode ser anulado ou não. Como não aconteceu nada no golo em Moscovo, a bola não saiu nem tocou em ninguém, nem percebi a lei. Mas saímos da Champions. Estamos ainda na Liga Europa - o primeiro resultado não foi o que esperávamos. Na liga estamos em primeiro”, observou.

“Tivemos 19 milhões de euros de lucro e disseram logo que roubámos. Com o fortíssimo resultado conseguimos cumprir o fair-play financeiro. Temos a multa suspensa e o castigo de não inscrever dois jogadores, com este resultado tudo acabou. Já não há penas suspensas. Deve-se a um trabalho árduo. O Sporting não descobriu petróleo, mas sim que há deputados que se preocupam muito com o Sporting e com mais ninguém. Foi a única coisa que se descobriu.  (…) A verdade é que o Sporting quando começámos era o clube com maior dívida, neste momento dos três grandes tem a dívida menor. Este ano, entidades que não o Sporting reconhecem o nosso plantel como o mais valioso dos três grandes”, concluiu.