Agressões e insultos na arruada da coligação PSD/CDS em Espinho

Momento de tensão enquanto se aguardava pela chegada de Passos Coelho.

Foto

Pouco passava das 17h quando o homem chegou. Depois de arrancar várias bandeiras colocadas em postes, começou a agredir várias pessoas da comitiva e a gritar insultos. Foi também agredido por elementos da campanha e afastado por vários membros da comitiva, incluindo Matos Rosa, que tentou separar as duas partes. O homem acabou por se ir embora do local onde se encontravam os militantes de PSD e do CDS.

Viveu-se um momento de muita tensão entre todos, enquanto esperavam por Passos e Nuno Melo, que nesta sexta-feira à rendeu Paulo Portas na campanha.

Poucos minutos depois dos confrontos começou a voar um drone por cima dos apoiantes, o que despertou a desconfiança dos seguranças do primeiro-ministro. De imediato tentaram perceber de quem era o drone e avisaram que “não podia ir por cima da cabeça do primeiro”. Afinal, as filmagens estavam por conta da distrital do PSD de Aveiro que produz vídeos de campanha diários para o site. 

A arruada – “contacto com a população” como diz o programa da campanha – começou com a chegada de Passos Coelho. Ao lado dos candidatos pelo distrito – encabeçados por Luís Montenegro – pelos apoiantes, por elementos das jotas e por jornalistas, o líder da coligação é envolto numa bolha que quase não lhe permite cumprimentar ninguém, tão só acenar para as varandas. Assim caminhou pela rua central vedada ao trânsito mas sem nenhuma enchente atrás de si como era esperado em Espinho. A organização da campanha justificou a fraca mobilização para a arruada com o mega jantar desta noite, em Santa Maria da Feira.