As creches são mais caras do que as universidades?

Catarina Martins afirmou que as creches em Portugal são mais caras do que as universidades. Será?

Catarina Martins
Foto
Catarina Martins Nuno Ferreira Santos

A Frase

 O Contexto
A porta-voz do Bloco de Esquerda, Catarina Martins, esteve na quinta-feira na Maternidade Alfredo da Costa, numa acção de campanha em defesa do Serviço Nacional de Saúde, mas que também, ou não fosse aquele o local indicado, versou sobre o problema da natalidade no país. Questionada a este respeito pelos jornalistas, a dirigente bloquista defendeu que a solução passa, acima de tudo, por emprego, salários. Mas também por apoios à infância, afirmando a este respeito que as creches em Portugal são mais caras do que as universidades.

Os Factos
As creches destinam-se a crianças entre os três meses e os três anos. Como não existe uma rede pública que assegure este serviço, os pais podem recorrer a colégios privados, a Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPPS) ou a amas. No primeiro caso, as propinas mensais são em regra superiores a 300 euros.  

Nas creches a funcionar nas IPPS as mensalidades são determinadas em função do rendimento do agregado familiar, o mesmo se passando com as amas. Quando têm acordos de cooperação com a Segurança Social, os pagamentos por mês são determinados com base em seis escalões de rendimento per capita, indexados à remuneração mínima mensal garantida (salário mínimo nacional), que actualmente é de 505 euros.

No primeiro escalão, estão abrangidas as famílias que têm um rendimento per capita que não vai além dos 30% do salário mínimo. Neste caso pagam 76 euros mensais pela frequência das creches ou amas. No 6.º escalão, o de maiores rendimentos, esta verba pode chegar quase aos 200 euros. Nesta chamada “resposta social” existe um problema crónico de escassez de lugares.

Actualmente o Estado só é obrigado a garantir oferta pública gratuita a partir dos cinco anos de idade, no que se chama educação pré-escolar. Em Julho passado, o Governo aprovou um diploma com vista a garantir a frequência da pré-escolar desde os 4 anos, a partir do ano lectivo 2016/2017. 

No ensino superior público o valor da propina está indexado à taxa média de inflação do ano anterior. Actualmente a propina máxima anual neste nível de ensino é de 1066 euros.

Em resumo

Catarina Martins tem, em geral, razão quando afirma que se paga mais por ter os filhos nas creches do que no ensino superior. A despesa anual de uma família com filhos em creches de colégios particulares ultrapassa os 3000 euros, quando nas universidades este valor não pode ir além dos 1066 euros. E nos serviços com apoios da Segurança Social as comparticipações exigidas às famílias só não ultrapassam o valor da propina anual do superior no escalão mais desfavorecido, ou seja, quando o rendimento per capita mensal é inferior a 150 euros.
 

PÚBLICO -
Aumentar