DR
Foto
DR

Apresentação das selecções do Mundial: Irlanda

Os irlandeses apenas por uma vez não passaram a fase de grupos, mas nunca passaram dos quartos-de-final

Duas vitórias consecutivas no Torneio das Seis Nações e a presença de Joe Schmidt no comando colocam a fasquia alta para a Irlanda no Mundial 2015, mas será desta que os irlandeses vão quebrar o tabu dos quartos-de-final? A melhor maneira de o conseguirem, é vencer o Grupo D, caso contrário o mais provável é acontecer um indesejado frente a frente com os All Blacks após a fase de grupos.

 

Com cinco presenças nos quartos-de-final de Mundiais, a Irlanda apenas em 2007 ficou pela fase de grupos. Entre 2008 e 2013, a “equipa do trevo”, foi treinada por Declan Kidney, que apesar de ter conseguido que os seus pupilos fizessem o Grand Slam do Seis Nações em 2009, somou maus resultados nos anos seguintes: nesse período a Irlanda ganhou apenas 16 de 40 jogos e terminou o Seis Nações de 2013 no 5.º lugar.

PÚBLICO -
Foto

 

PÚBLICO -
Foto

A saída de Declan Kidney abriu as portas a Joe Schmidt, detentor de um currículo de respeito, no qual se destaca a passagem pelo Leinster onde alcançou um título do Pro 12 e duas Heineken Cups.

 

Com Schmidt no comando, a Irlanda melhorou de forma indiscutível, sendo evidente um melhor planeamento e mais estratégia, onde os vários detalhes do jogo são estudados e treinados com afinco.

 

Os jogos de preparação para o Mundial não foram, porém, animadores, com a derrota frente a Inglaterra (13-21) a ser um alerta. Apesar de mais organizados, a falta de segundas opções em algumas posições chave, como por exemplo a de abertura, podem condicionar a equipa, caso existam lesões.

 

Nomes como Paul O’Connell, Sean O’Brien, Robbie Henshaw e o consistente Jonathan Sexton, serão determinantes.

 

Curiosidade:

O râguebi irlandês é um verdadeiro exemplo de união. Ao contrário do que sucede por exemplo no futebol, no râguebi a selecção irlandesa está representada pelas quatro províncias que compõem a ilha, incluindo a Irlanda do Norte. Este facto trouxe, no entanto, alguns problemas até 1995. Até esse ano, os jogos internacionais da Irlanda eram disputados alternadamente entre Belfast (capital da Irlanda do Norte onde se ouvia o hino britânico God Save the Queen) e Dublin (capital da República da Irlanda onde era tocado o Amhrán na bhFiann, hino irlandês). A partir de 1995 foi criado o Ireland's Call que será o hino que se ouvirá no Mundial 2015.

 

Jogos na Fase de Grupos

19/09: Irlanda-Canadá, 14h30

27/09: Irlanda-Roménia, 16h45

04/10: Irlanda-Itália, 16h45

11/10: França-Irlanda, 16h45

 

Convocados

Avançados: Rory Best, Sean Cronin, Tadhg Furlong, Cian Healy, Jamie Heaslip, Iain Henderson, Chris Henry, Jack McGrath, Jordi Murphy, Sean O'Brien. Paul O'Connell, Peter O'Mahony, Mike Ross, Donnacha Ryan, Richardt Strauss, Devin Toner, Nathan White.

Três-quartos: Tommy Bowe, Darren Cave, Keith Earls, Luke Fitzgerald, Robbie Henshaw, Paddy Jackson, David Kearney, Rob Kearney, Ian Madigan, Conor Murray, Jared Payne, Eoin Reddan, Jonathan Sexton, Simon Zebo.