Estação de metro da Baixa-Chiado vai ter plataforma elevatória na próxima semana

Instalação da plataforma destinada a pessoas com mobilidade reduzida demorou três anos.

Foto
Plataforma custou à empresa cerca de 30 mil euros José Fernandes/Arquivo

O Metropolitano de Lisboa informou nesta sexta-feira que a plataforma elevatória da estação da Baixa-Chiado, destinada a pessoas com mobilidade reduzida, vai estar disponível no início da próxima semana, três anos depois do início dos trabalhos de instalação.

A plataforma elevatória vai permitir o acesso desde a Rua do Crucifixo à estação de metro da Baixa-Chiado, em Lisboa, para pessoas de mobilidade condicionada e "estará em condições de exploração no início da próxima semana", disse à agência Lusa fonte do Metropolitano de Lisboa.

A instalação da plataforma começou em Junho de 2012, tendo demorado mais de três anos até estar concluída, período justificado pela "necessidade de assegurar que a plataforma cumpra todos os requisitos técnicos especificados em sede de concurso, nomeadamente de segurança", referiu a empresa, acrescentando que esse motivo "levou a que o fornecedor tivesse de introduzir diversas alterações e fazer modificações ao equipamento".

No total, a plataforma elevatória custou ao Metropolitano de Lisboa cerca de 30 mil euros [29.541 euros], contabilizando o fornecimento, a instalação e sistemas e infraestrutura. Segundo a mesma fonte da empresa, esta plataforma elevatória "não pode ser comparada com um elevador, cuja capacidade de transporte e velocidade são superiores".

A estação Baixa-Chiado é uma das mais movimentadas e a mais profunda de toda a rede, localizada 45 metros abaixo da superfície. Nas duas saídas existem, no total, 12 lanços de escadas rolantes, que avariam com frequência durante longos períodos de tempo. Só em 2010, por exemplo, houve 144 avarias.

Segundo a informação disponível no site da empresa, a rede actual, que inclui 55 estações, tem 209 escadas mecânicas, dez tapetes rolantes e 95 elevadores — porém, nem todos dão acesso à rua. São 30 as estações com “acessibilidade plena” a clientes com mobilidade reduzida, mas a da Baixa-Chiado ainda não era uma delas.

Desde a abertura da estação, em 1998, está prevista a instalação de um elevador de acesso desde o átrio até à superfície. A pensar nisso, a empresa comprou em 1996 um edifício de seis pisos nos números 30 a 34 da Rua Ivens, para ali instalar uma boca de metro com elevador. No entanto, nunca chegou a avançar com o projecto. Em Janeiro deste ano a empresa levou o prédio a leilão. Em alternativa, o ascensor deverá ser colocado nas Escadinhas do Espírito Santo, que ligam a Rua do Crucifixo à Rua Nova do Almada, uma solução “menos onerosa”, segundo disse ao PÚBLICO fonte da empresa.