O PS quase duplicou a dívida pública?

Paulo Portas disse-o numa acção de campanha em Lisboa. Os números desmentem-no?

Teixeira dos Santos apresentou em Maio de 2011 o plano de austeridade aprovado para Portugal
Foto
Teixeira dos Santos apresentou em Maio de 2011 o plano de austeridade aprovado para Portugal Rui Gaudêncio

A frase


O contexto
Numa acção de campanha, o vice-primeiro-ministro usou o indicador da dívida pública para defender que a última governação socialista foi muito negativa para as finanças públicas.

Os factos
No final de 2004, a menos de três meses da tomada de posse do Governo do PS, a dívida pública portuguesa estava nos 62% do PIB. Em 2000 tinha atingido o seu valor mínimo nos 50,3% e prolongou até 2008 um agravamento progressivo até aos 71,7%.

A partir de 2009, ano de grave crise internacional, a dívida disparou. Até ao final de 2011, chegou aos 111,1% do PIB. O final do Governo PS ocorreu em Junho desse ano. De acordo com os dados mensais do Banco de Portugal, o valor da dívida em termos absolutos no final de Junho de 2011 era praticamente idêntico ao do final desse mesmo ano (195,6 mil milhões de euros contra 195,7 mil milhões de euros).

Entre 2011 e o final de 2014, a dívida subiu até aos 130,2%.

Em resumo
Durante o último Governo socialista, a dívida pública em percentagem do PIB cresceu quase 80%, especialmente a partir de 2009.
 

PÚBLICO -
Aumentar