Fotogaleria
David Nunes tem 27 anos DR
Fotogaleria
Pixabay

Aplicação criada em Coimbra permite que telemóvel detecte emoções do utilizador

"App" promove caminhadas e exercício físico. Projecto, ainda em fase de protótipo, valeu a David Nunes o prémio Jovem Investigador, atribuído recentemente na Alemanha

Uma equipa de investigadores da Universidade de Coimbra (UC) desenvolveu uma aplicação que permite que o telemóvel identifique o estado de espírito dos seus utilizadores.

Denominada Happy Hour, a aplicação, que já está em fase de protótipo, permite que o telemóvel não só identifique "o estado de espírito dos seus utilizadores", como também seleccione e apresente "informação, em tempo real, sobre os espaços verdes de interesse mais próximos (como parques ou jardins)", afirma a UC, numa nota divulgada esta quarta-feira. A aplicação promove, assim, "caminhadas e exercício físico como forma de melhorar a situação emocional de quem a utiliza", acrescenta a UC.

A Happy Hour foi criada para o sistema operacional Android por uma equipa de investigadores do Departamento de Engenharia Informática da Faculdade de Ciências e Tecnologia da UC, coordenada por Jorge Sá Silva. A originalidade do projecto "Happy Hour - Improving Mood With An Emotionally Aware Application" valeu a David Nunes, de 27 anos, o prémio Jovem Investigador ("Young Scientist Award") na Conferência Internacional IEEE-I4CS - Inovação para Serviços Comunitários, que decorreu recentemente na Alemanha, destaca a UC.

O objectivo do desenvolvimento desta revolucionária "app", que se enquadra na promissora área da Internet das Coisas, é "mudar o paradigma", afirma David Nunes. "As tecnologias devem compreender o ser humano e adaptar-se às suas necessidades e desejos" e embora seja "um desafio de enorme complexidade, o futuro passa por aqui", sustenta David Nunes. "Esta tecnologia resulta de quatro anos de investigação e passou por várias etapas. Primeiro, a equipa reuniu um conjunto de tecnologias e informação (camisola inteligente, telemóvel, informação sobre o estado do tempo, etc.) que lhe permitisse obter e processar toda a informação essencial para desenhar a aplicação".

A partir daqui, os investigadores utilizaram um algoritmo de aprendizagem para avaliar quatro estados emocionais pré-definidos: euforia, aborrecimento, calma e ansiedade. A aplicação, que actualiza o estado emocional de hora a hora e envia para correcção e validação do utilizador, socorre-se igualmente de sensores do telemóvel para identificar, localizar e perceber o ambiente onde indivíduo está inserido.