António Costa: “As pessoas sabem separar as coisas”

O líder do PS continua a não comentar o caso Sócrates.

António Costa: "Nós aprendemos com os nossos erros. É pena que o Governo não tenha aprendido com os seus erros e o que tenha a propor hoje aos portugueses é mais do mesmo"
Foto
António Costa: "Nós aprendemos com os nossos erros. É pena que o Governo não tenha aprendido com os seus erros e o que tenha a propor hoje aos portugueses é mais do mesmo" Nuno Ferreira Santos

António Costa voltou a recusar na noite desta sexta-feira a comentar o caso José Sócrates, voltando a alegar separação entre a política e a justiça.

“São dois processos que correrão em paralelo. As pessoas determinarão o seu sentido de voto, assim como a justiça determinará a sua função e o engenheiro. José Sócrates determinará a sua defesa”, sustentou António Costa em declarações à Sic-Notícias.

Questionado se o caso vai contaminar a campanha eleitoral, o líder socialista acredita que não.

“É um debate que se trava na justiça. As pessoas sabem separar bem as eleições e um caso judiciário. (…) As pessoas determinarão o seu voto em função das circunstâncias políticas”, afirmou.

O líder PS voltou a defender a necessidade de “aguardar que a justiça exerça a sua função”, que os cidadãos façam as suas escolhas eleitorais e que se mantenha a “presunção de inocência” de José Sócrates.