Reportagem

O comboio Vouguinha, os ninhos artificiais e a biodiversidade

Candidatos a deputados pelo Partido Ecologista Os Verdes pelo distrito de Aveiro andaram esta quinta-feira a fazer campanha em Espinho, convictos que desta vez será possível eleger um parlamentar.

Foto
Os Verdes querem manutenção do comboio Vouguinha Diogo Baptista

O dia começou com uma viagem de comboio entre S. João da Madeira e a cidade de Espinho, em defesa da Linha do Vouga, e terminou com um workshop sobre a erosão da orla costeira, onde foram abordadas as políticas de ordenamento do territórios e as suas graves implicações sobre o litoral. Em clima de pré-campanha, candidatos a deputados do Partido Ecologista Os Verdes nas listas da Coligação Democrática Unitária (CDU) escolheram o centro de Espinho para contactar com eleitores e sensibilizá-los para a necessidade de votarem na coligação nas legislativas do dia 4 de Outubro.

Com a convicção de que desta vez vai ser possível eleger um deputado pelo distrito de Aveiro, Antero Resende, o professor que ocupa o quarto lugar na lista de deputados da coligação – o primeiro pelo Partido Os Verdes –, empenha-se em fazer passar a mensagem junto das pessoas com quem se cruza e encontra alguma receptividade até porque é muito discreto na maneira como aborda os possíveis eleitores. Nas mãos leva um maço de desdobráveis onde se destacam as “cinco medidas fundamentais para recuperar a economia e a soberania e promover o desenvolvimento do país”. “Renegociar a dívida, defender os serviços públicos, combater as alterações climáticas, proteger a natureza, pela ‘nossa’ soberania” são as cinco medidas fixadas pelos candidatos dos Verdes, que se batem “por uma alternativa que construa a mudança”.

Conselheiro nacional de Educação, Antero Resende, de 54 anos, surge rodeado por um grupo de jovens do partido e todos participam na distribuição de propaganda política, porque o objectivo é bem claro: eleger um deputado, algo que já não acontece desde que a ex-comunista Zita Seabra foi deputada no final da década de 80. Nas últimas legislativas, a coligação subiu ligeiramente, mas não conseguiu o número de votos suficientes para voltar a ter um representante no Parlamento.

Com Paulo Portas (CDS) e Pedro Filipe Soares (BE) a concorrer fora do distrito de Aveiro, aumentam as expectativas da coligação de esquerda e vai de encontro aos estudos de opinião que dão uma subida ao PCP nas legislativas.

A poucos metro do Casino de Espinho, a comitiva cruza-se com um grupo de pessoas que, em tom de graça, associa a iniciativa dos Verdes ao clube de Alvalade. Para trás ficava a Tabacaria Sporting, situada na mesma rua, e a ambição de convencer mais eleitores.

Antes do contacto com a população, a comitiva viajou de comboio (todo grafitado) em defesa da Linha do Vouga e à chegada ao apeadeiro foi desenrolada uma enorme tarja escura onde se lia: “Linha do Vouga. 100 anos de história. Não pode morrer”. A viagem pretendeu “alertar para a necessidade urgente da sua requalificação e valorização, como factores de mobilidade e de desenvolvimento da região”.

Na altura, foram ouvidas críticas ao Governo pelo desinvestimento que a linha tem sofrido. O professor Antero Resende destaca as “potencialidades da ferrovia para servir mais 400 mil utentes dos concelhos de Águeda, Albergaria, Oliveira de Azeméis, São João da Madeira, Santa Maria da Feira e Espinho”.

“A ferrovia do Vale do Vouga, vulgo Vouguinha, é uma linha que tem grandes potencialidades, mas ao contrário do que fez a União Europeia, que investiu na ferrovia, o país vira as costas ao transporte ferroviário”, insurge-se o candidato dos Verdes, observando que “o Governo não só abandonou a linha como colocou ao seu serviço material decrépito, proveniente de outras linhas”. “À excepção do braço Águeda/Aveiro, onde vão ser investidos mais de três milhões de euros, o Governo não tem feito quaisquer investimento aqui”, aponta o conselheiro nacional de Educação, considerando que o que fazia sentido “era um comboio de cariz urbano que servisse a população”.

De tarde, o tema foi a biodiversidade. Antes de um debate sobre este tema, estava prevista para o Parque de Campismo de Cortegaça a colocação de ninhos artificiais para as espécies insectívoras, um dos barómetros de medição de qualidade. “Este núcleo de aves é o que mais facilmente sofre o impacto das poluições, como se alimentam de insectos são muitos suspeitáveis de desaparecer”, explicou o candidato a deputado Antero Resende, revelando que estava “tudo preparado” para outros grupos de aves típicas do ecossistema daquela zona de Cortegaça, desde que o tempo ajudasse…

O cabeça de lista da CDU por Aveiro, Miguel Viegas, haveria de juntar-se à comitiva, mais tarde, na praia do Furadouro, numa iniciativa ligada à biodiversidade.