Angel Olsen, Jessica Pratt, Lower Dens, Weyes Blood – a rentrée da ZDB

Às datas já previstas em Lisboa e Guimarães, Angel Olsen acrescenta um concerto a solo a 9 de Setembro na sala do Bairro Alto.

Fotogaleria
Às já conhecidas datas em Lisboa e Guimarães, Angel Olsen acrescenta um concerto a solo: 9 de Setembro na ZDB KELLY GIARROCCO
Fotogaleria
A guitarra versátil de Bill Orcutt: 25 de Outubro DR
Fotogaleria
A bizarra The Space Lady: 4 de Novembro DR

E a primeira grande notícia da rentrée na ZDB é a de que Angel Olsen toca não uma, mas duas vezes em Lisboa. Logo a seguir à actuação no Campo de Santa Clara, no âmbito da Trienal de Arquitectura (dia 8), e à passagem por Guimarães (5), ambas com banda, Angel Olsen apresenta-se na Zé dos Bois a 9 de Setembro num intimista concerto a solo. Que é como quem diz que os seus fantasmas (os tormentos, enfim, e aquelas luminárias que lhe são queridas e planam sobre as suas canções, como Leonard Cohen, Patsy Cline ou Wanda Jackson) ficarão mais expostos e andarão mais à solta. Os temas de Burn Your Fire for No Witness farão parte da ementa, mas é provável que a oferta não se esgote aí.

Nos próximos meses, a sala do Bairro Alto receberá também outras duas distintas senhoras das canções norte-americanas. A 26 de Outubro, Jessica Pratt tratará de transformar azedume amoroso e desalento mórbido em pequenos shots de beleza folk, enquanto a 19 de Novembro também a folk virada do avesso de Natalie Mering enquanto Weyes Blood (uma Nico no mundo de Vashti Bunyan) partilhará os preciosos frutos de que se compõe The Innocents – primeira parte de Sean Nicholas Savage. Mas a comitiva americana começa a instalar-se na ZDB já a partir de 4 de Setembro, data escolhida para Cameron Stallones vestir a sua pele de Sun Araw e largar sobre o público o flirt continuado do seu psicadelismo com as mais variadas sonoridades recolhidas pelo mundo. Mais tarde, a 8 de Outubro, será a vez de uma velha conhecida da casa, a enigmática Haley Fohr, apresentar o seu novo álbum enquanto Circuit des Yeux, da mesma maneira que passados três dias os irlandeses Girl Band mostrarão o disco de estreia Holding Hands with Jamie, coisa que promete tendo em conta o potencial explosivo destes descendentes tanto dos Birthday Party quanto da rudeza inicial dos Nirvana (ambos os projectos têm também escala em Guimarães agendada para dia 10, no festival Mucho Flow).

Mais perto de casa, haverá palco para Branko (dos Buraka Som Sistema) deixar perceber de que é feito o seu álbum Atlas, a 10 de Setembro, e para Benjamim (o artista anteriormente conhecido como Walter Benjamin) pôr a tocar o seu novo Auto Radio, a 26 de Setembro. Jibóia, conhecido entusiasta dos sons do Médio Oriente, desviar-se-á um pouco do seu caminho para partilhar a noite de 17 com o guitarrista tuaregue Mdou Moctar. Depois de Cured Pink e Fingers fazerem de 24 de Setembro uma noite australiana e o egípcio Islam Chipsy trazer à ZDB o electro chaabi a 14 de Outubro, tempo para mais uma investida norte-americana de peso: a guitarra versátil de Bill Orcutt (25 de Outubro), a bizarra The Space Lady (4 de Novembro) e os muitíssimo recomendáveis Lower Dens de Jana Hunter (21 de Novembro). É de perder o tacto ao fôlego por uns minutos…