Cultura representa dois por cento do emprego e quase outro tanto na produção do país

Os dados esta quinta-feira divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) dizem respeito ao peso da cultura na economia portuguesa no triénio 2010/2012.

Jorge Barreto Xavier não explicou como vai aumentar as verbas disponíveis para os concursos do cinema
Foto
A criação desta Conta Satélite da Cultura em Portugal foi anunciada em 2013, pelo secretário de Estado da Cultura, Jorge Barreto Xavier, e resulta de um protocolo de cooperação entre o INE e o Gabinete de Estratégia, Planeamento e Avaliação Culturais da SEC. Enric Vives-Rubio

A actividade cultural emprega perto de 89 mil pessoas, respondendo por cerca de dois por cento do emprego nacional, e representa cerca de 1,9 por cento da produção do país, segundo a Conta Satélite da Cultura, esta quinta-feira apresentada em Lisboa.

Os dados  esta quinta-feira divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) dizem respeito ao peso da cultura na economia portuguesa no triénio 2010/2012, acompanhando o período imediatamente anterior e posterior à intervenção da troika, em Portugal.

De acordo com a apresentação destes números, a decorrer numa sessão no INE, o sector ressentiu-se, neste período, acompanhando o ritmo da economia, mas o emprego, no triénio em causa, ultrapassou "o registado, por exemplo, na indústria imobiliária ou de telecomunicações".

Em termos de Valor Acrescentado Bruto (VAB) - o valor bruto da produção deduzido dos custos do processo produtivo - a cultura teve mais peso na economia do que a indústria alimentar, com o seu contributo médio de 2,7 mil milhões de euros por ano (cerca de 1,7% do total), enquanto o sector agrícola se situou em 1,5 por cento, com 2,3 mil milhões de euros/ano, e as indústrias alimentares, em 1,6%.

No mesmo período, verificou-se um aumento de mais de 11% das exportações de produtos culturais, enquanto as importações diminuíram quase 10%, "equilibrando o saldo externo nacional", no sector, que, no entanto, "ainda se encontra deficitário, situação que se tem mantido há várias décadas", como destaca a Secretaria de Estado da Cultura (SEC), em comunicado.

A Conta Satélite da Cultura em Portugal considerou perto de 66 mil "unidades económicas", repartidas por diferentes sectores: empresarial público e privado, administração pública e entidades sem fins lucrativos.

Em Portugal, prossegue o comunicado da SEC, existiam, "em 2012, quase 66 mil entidades (65.918) a desenvolver trabalho na área da cultura", destacando-se as artes do espectáculo e o subsector livreiro.

A criação desta Conta Satélite da Cultura em Portugal foi anunciada em 2013, pelo secretário de Estado da Cultura, Jorge Barreto Xavier, e resulta de um protocolo de cooperação entre o INE e o Gabinete de Estratégia, Planeamento e Avaliação Culturais da SEC.

Sugerir correcção