Aura Festival vai trazer “paisagens de luz” às noites de Sintra

Organização propõe diversas iniciativas entre quinta-feira e domingo, sempre à noite, para oferecer aos visitantes “diferentes leituras da paisagem” da vila Património Mundial da UNESCO.

Sintra vai ser cenário de uma das mais renhidas disputas eleitorais nas eleições de 29 de Setembro
Foto
Iniciativas decorrem no ano em que Sintra comemora 20 anos desde a classificação como Património Mundial da UNESCO Daniel Rocha

A vila de Sintra vai ser palco, entre esta quinta-feira e domingo, da 1º edição do Aura Festival. O evento nocturno de entrada gratuita é dedicado à “arte da luz” através de instalações de luz e de vídeo, video mapping, mapeamentos digitais, concursos em redes sociais, visitas guiadas, percursos-memória e performances. Estas iniciativas decorrem diariamente das 20h30 às 00h30.

Sob tema “Paisagens de Luz” e integrado na celebração do Ano Internacional da Luz, o Aura Festival vai levar os visitantes e moradores a terem “diferentes leituras da paisagem de Sintra”, anuncia a Câmara de Sintra no seu site. A autarquia é um dos promotores do evento, em parceria com a associação Criaatividade Cósmica, uma associação cultural sem fins lucrativos que interfere de forma criativa no espaço público. 

De acordo com o site do festival, “os trabalhos de 20 artistas assumem-se como plataformas de interacção com o público em movimento terrestre ou digital”, num percurso entre o Museu de Artes de Sintra (MU.SA) e o Palácio Nacional de Sintra.

O MU.SA vai ser o ponto de encontro onde, para além de uma instalação de vídeo interactiva, os visitantes vão encontrar informação sobre os artistas e o festival. No Largo Rainha D. Amélia, junto ao Palácio Nacional de Sintra, local onde o festival vai terminar, vão ser projectadas na fachada do palácio as publicações das redes sociais Instagram e Twitter com a tag #aurasintra.

A Rua Dr. Alfredo da Costa vai receber no sábado a 4º edição do Open Day Street, este ano realizada no âmbito do Aura Festival, onde vão poder encontrar, segundo informação da autarquia, “música, exposições, instalações, performances, dj’s, promoções, ofertas, menus especiais, balcões exteriores, degustação de produtos, amostras”.

O Largo Afonso Albuquerque vai receber o workshop do Centro Ciência Viva de Sintra “O que é a luz?”, de forma a responder a perguntas sobre a ciência por detrás da luz: de que maneira a mesma pode ser trabalhada, analisada, abrandada, acelerada ou decomposta. O workshop, de participação gratuita, vai realizar-se todas as noites do festival, com quatro sessões por noite, cada uma de trinta minutos, excepto no primeiro dia, quando haverá apenas três.

O festival, que decorre no ano em que se comemoram os 20 anos da classificação de Sintra como Património Mundial da UNESCO, vai também trazer aos moradores e visitantes “memórias, histórias de vida e paisagens quotidianas” reveladas em "cartografias emocionais", em forma de passeios guiados. A primeira "revelação" decorre na sexta-feira, às 21h30, na zona pedonal da Avenida Heliodoro Salgado (com projecção de vídeos sobre os comerciantes desta rua); no sábado à mesma hora na Correnteza; e no domingo também às 21h30 nos Paços do Concelho.

O evento “pretende levar moradores e visitantes a redescobrirem estes locais que se foram modificando ao longo do tempo”, numa forma diferente de vivenciar “as paisagens quotidianas nas suas dimensões poéticas, históricas, míticas e políticas”, pelo que se lê no site da Aura Light, uma empresa de iluminação parceira do festival.

Ao longo do percurso do festival os visitantes irão cruzar-se com a BIP - Brigada de Iluminação Pública, cujos membros prometem "lutar contra a escuridão e contra o excesso de luz", acompanhando as visitas guiadas. Texto editado por Marisa Soares