No Dia Mundial da Fotografia, fotografar já é uma celebração

CPF abre as portas, gratuitamente, a exposições e várias actividades.

Há vários anos que, no Porto, o Dia Mundial da Fotografia se tornou numa festa
Foto
Há vários anos que, no Porto, o Dia Mundial da Fotografia se tornou numa festa Lara Jacinto

Tudo começou em 1837 quando Louis Daguerre inventou o daguerreótipo, o primeiro processo fotográfico que permitiu fixar uma imagem por processos químicos. Hoje, graças à invenção de Daguerre, que mereceu a classificação da Academia Francesa de Ciências a 19 de Agosto de 1839, a fotografia tem um dia celebrado em todo o mundo. E no Porto a festa está principalmente a cargo do CPF.

A pensar na importância que a fotografia tem actualmente no quotidiano das pessoas, o Porto celebra há vários anos a data com actividades e programação variada em diversos espaços. O Centro Português da Fotografia (CPF) é uma das instituições da cidade mais conhecidas, no que toca à cultura fotográfica, pelo que a celebração a 19 de Agosto “já é uma tradição consolidada”. Este ano, o CPF não foge à regra: continua a garantir ao público a fruição gratuita de um conjunto de iniciativas.

Podem ser as molduras retro iluminadas à entrada do edifício a prender as atenções ou, porventura, a vontade de aprender mais num workshop de Ivan Silva e Luís Montanha sobre Introdução à Literacia Visual e Desconstrução da Imagem-arquivo, em que os participantes são convidados a conhecer as revoluções que ocorreram na imagem.

Os pormenores do dia-a-dia em objectos ou paisagens são hoje alvo de enquadramento fotográfico, seja numa conta do Instagram ou num trabalho mais profissionalizado. É em Palavras com Imagens que Joana Ribeiro propõe demonstrar que, a partir das imagens mais corriqueiras, é possível formar nomes, palavras e frases, ou seja, dar-lhes um sentido linguístico e verbal.

 Em Teatro das Sombras - Azuriche, o duende com asas, as crianças entre os seis e os 10 anos podem pintar personagens e, depois, integrá-las numa peça de teatro. De forma a proporcionar um “ambiente de festa”, como explica Sandra Silva do CPF, o público poderá assistir a um concerto do Baltar Cassola Guitar Duo, em que Eduardo Baltar e Tiago Cassola apresentam Espelhos e criam, ao som da música, imagens e memórias de Portugal.

As inscrições para as actividades terminaram, porque os lugares ficaram esgotados. Apenas a conferência do professor Augusto da Eira, sobre a importância da luz na fotografia, ainda aceita participantes. Sandra Silva admite que o público é maioritariamente amador, o que permite tornar o evento ecléctico. Das 10h às 18h, hoje e amanhã, o CPF está de portas abertas para colocar a fotografia em destaque.

A acompanhar a paixão pela fotografia está a galeria-bar Espiga, perto do Jardim do Carregal. Os proprietários Inês Viseu e Hugo Moura têm ambos formação em fotografia, logo o Dia Mundial da Fotografia não poderia passar em branco. Hoje, um workshop às 22h sobre a fotografia nocturna vai ensinar a fotografar manualmente à noite, sem os automatismos predefinidos pelas máquinas fotográficas.

A participação tem o custo de 20 euros: basta enviar um email para a Espiga. Amanhã no mesmo espaço, às 21h30, com o fotógrafo Daniel Camacho, o debate acerca dos Limites da Fotografia será uma oportunidade para “conversar sobre o papel da fotografia e a polémica à volta da partilha nas redes sociais”, esclarece Inês Viseu.