Crónica de jogo

Tondela prolongou sofrimento do Sporting até aos descontos

"Leões" venceram em Aveiro por 2-1, com um golo de grande penalidade marcado aos 90+5'. Anfitrião caiu de pé.

Foto
Francisco Leong/AFP

Foi do Sporting o primeiro remate da Liga 2015-16, bem como o primeiro golo e o primeiro triunfo (1-2). Foram do Sporting cerca de 65 dos 90 minutos do jogo com o Tondela, em Aveiro, mas foi necessária uma grande penalidade, já em tempo de compensação, para Jorge Jesus manter a aura vencedora com que iniciou a temporada. Mérito também de um adversário que mostrou personalidade na sua estreia absoluta no principal escalão.

O Tondela entrou em campo com a avidez de quem se alimenta dos grandes palcos. Em 4-3-3, pressionou alto o Sporting, obrigou o adversário a esticar o jogo e foi mantendo a bola longe da baliza. Mas era evidente que era uma estratégia com os minutos contados. Aos primeiros sinais de desgaste, os lisboetas começaram a impor a sua lei.

Aos 10’, Slimani rematou na área para boa defesa de Matt Jones; aos 13’, Jefferson fugiu pela esquerda e Carrillo falhou a emenda ao segundo poste; aos 15’, a bola entrou mesmo. Carrillo e Bryan Ruiz, sempre muito dinâmicos e férteis em movimentos interiores, combinaram entre si, e do cruzamento resultou um ressalto que João Mário aproveitou.

O Sporting vivia, então, o seu melhor momento. Rápidos com a bola nos pés, muitas vezes com combinações ao primeiro toque e a incidirem especialmente pelo lado esquerdo do ataque (Edu Machado esteve sempre muito desapoiado na defesa do Tondela), os “leões” voltaram a estar perto do golo aos 22’, por Carrillo, e aos 26’, por Slimani. Não arrumaram o jogo nessa altura e acabariam por sofrer.

No segundo tempo, o Tondela arriscou um pouco mais (e começou por trocar de corredor os extremos, Murillo e Luís Machado). Com saídas mais rápidas para o ataque, foi empurrando o Sporting um pouco mais para trás e tirou mesmo um coelho da cartola aos 58’: Tinoco bateu um livre indirecto descaído sobre o lado direito e Luís Alberto, ao segundo poste, desviou para a baliza, com a bola a embater-lhe pelo meio no braço esquerdo.

PÚBLICO -
Foto

Ganharam confiança os anfitriões e o Sporting foi obrigado a arriscar, primeiro com Montero e Mané (troca por troca) e depois com Gelson Martins. E o atacante de 20 anos seria decisivo, ao ganhar uma grande penalidade aos 90+4’, por falta de Murillo. Queixou-se o Tondela de uma má reposição da bola em campo, por João Pereira, no lance anterior, mas Adrien não se deixou perturbar. Marcou com frieza e confirmou uma entrada de leão na nova época.