Abertas candidaturas para centros de referência no cancro e transplante

Hospitais interessados em ter este título máximo podem concorrer. Além das duas áreas o processo abrange também as doenças genéticas.

As taxas de mortalidade de diversos tipos de cancro deverão aumentar
Foto
A candidatura é feita para a DGS mas o reconhecimento é dado pelo ministro da Saúde Paulo Pimenta

As unidades de saúde que pretendam ser admitidas como centros de referência para as áreas dos cancros raros, da transplantação de órgãos e de doenças genéticas têm agora 30 dias para se candidatarem a este reconhecimento.

Um centro de referência é um serviço, departamento ou unidade de saúde, reconhecido como o expoente mais elevado de competências na prestação de cuidados de saúde de elevada qualidade. O reconhecimento da unidade como centro de referência é dado pelo ministro da Saúde, tendo as candidaturas de seguir para a Direcção-Geral da Saúde (DGS), a quem cabe analisar se os candidatos cumprem os critérios gerais de reconhecimento desta designação.

Nesta sexta-feira foi publicada a abertura das candidaturas nas áreas das neoplasias malignas de adultos do testículo, recto, esófago e hepato/bílio/pancreáticos, bem como sarcomas de partes moles e ósseos de adultos.

As neoplasias malignas de crianças e adolescentes, a transplantação de adultos para coração, fígado, rim, pulmão e pâncreas, a transplantação pediátrica para coração, fígado e rim, os tumores oculares, a epilepsia refractária de crianças, adolescentes e adultos e a paramiloidose familiar são as outras áreas abrangidas pelos concursos agora abertos.