Patrícia Martins
Foto
Patrícia Martins

“Não estou em Portugal para dividir”

Olivier Baragnon, novo seleccionador nacional de râguebi de XV, foi apresentado nesta sexta-feira e tem contrato válido por um ano

O substituto de João Luís Pinto no comando técnico da selecção nacional XV de râguebi foi apresentado nesta sexta-feira, na sede da Federação Portuguesa de Rugby (FPR). Olivier Baragnon, francês de 45 anos, chega a Portugal com um currículo onde constam experiências como adjunto no Colomiers e na selecção sub-18 escolar da França, e espera ajudar a impulsionar a modalidade no nosso país.

 

“Não estou em Portugal para dividir, não existem divisões. Estou aqui para unir esforços e vontades, assumindo a responsabilidade de todo o processo, de reunir toda a gente. Quero ser um elemento agregador e não o contrário”, começou por referir.

PÚBLICO -
Foto

 

Lado a lado com Carlos Amado da Silva, presidente da FPR, o francês traçou os objectivos para esta aventura em Portugal: “Queremos melhorar o râguebi português. É isso que importa. O importante é a coesão da modalidade em Portugal. Não conheço país nenhum em que as pessoas não queiram o melhor para a sua selecção. E aqui não é diferente. Vou tentar implementar na selecção portuguesa um râguebi de movimento.”

 

Apesar de o acordo com a FPR prever a sua estadia em Portugal de 15 em 15 dias, o novo seleccionador nacional assegura que não será um treinador em “part-time”. “Essa questão inquieta-me um pouco. Para mim o mais importante é o trabalho com os jogadores no terreno, nos treinos. Quero trabalhar com os treinadores portugueses. Sou pragmático, o que me preocupa é o trabalho no terreno. Espero criar uma equipa competitiva. Para mim o mais importante é ter a confiança dos jogadores, isso é absolutamente fundamental, e em segundo lugar, do “staff” com quem trabalho. As questões políticas deixo-as com o presidente”, acrescentou, tentando afastar a polémica em torno da sua contratação.

 

Questionado sobre o conhecimento que tem do râguebi nacional, Baragnon admitiu que está ainda em fase de aprendizagem. “Conheço os jogadores que jogam em França. Treinei alguns. Estou a ver vídeos e vou ter de os conhecer, trabalhando com eles.”

O contrato de Olivier Baragnon com a FPR terá a duração de uma época e a equipa técnica será constituída pelos preparadores físicos José Carvalho e Jorge Segurado. Frederico Sousa, que há um ano tinha sido afastado do comando da selecção, será o braço direito do treinador francês. Um treinador de avançados proveniente de França deverá fechar a equipa técnica.