Pequim vai organizar Jogos Olímpicos de Inverno de 2022

Cidade chinesa torna-se na primeira a receber tanto a edição de Verão como a de Inverno.

Fotogaleria
Momento em que cidade chinesa foi anunciada Edgar Su/Reuters
Fotogaleria
A vice-primeira-ministra chinesa discursa na apresentação de Pequim Vincent Thian/Reuters

Pequim, que acolheu a edição dos Jogos Olímpicos em 2008, concorria com a capital do Cazaquistão, Almaty, tendo a votação sido renhida. Dos 85 membros votantes do Comité Olímpico Internacional, 44 votaram em Pequim e 40 na proposta cazaquistanesa. Houve ainda uma abstenção.

Com o orçamento estimado de 2,76 mil milhões de euros, Pequim, que volta a envolver-se na organização da enorme competição 14 anos depois, promete competições "fantásticas" e espera que a realização dos Jogos na capital traga benefícios mais os mais de 300 milhões de pessoas que residem na zona Norte da China.

O aparente baixo orçamento destinado aos Jogos pode explicar-se com a reutilização de parte das infraestruturas criadas para o evento de 2008. Falta no entanto edificar espaços de alto nível para as provas ao ar livre. O Comité Olímpico Internacional tem, neste caso, um ponto negativo a apontar à candidatura chinesa: a falta de neve natural. A criação de neve artificial irá prever custos elevados de energia e utilização de água.

Pequim recebe, assim, a 24ª edição dos Jogos Olímpicos de Inverno. A primeira edição decorreu em 1924 e foi da responsabilidade de França, que recebeu as provas em Chamonix. A edição mais próxima vai ter Pyeongchang, na Coreia do Sul, como cidade organizadora.

Sugerir correcção
Comentar