Propostas de compra do Novo Banco entregues dia 7 de Agosto

Na corrida estão os dois grupos chineses Fosun e Angbang e o fundo norte-americano Apollo.

O Novo Banco surgiu em Agosto com a separação, pelo Banco de Portugal, do BES em duas entidades
Foto
O Novo Banco surgiu em Agosto com a separação, pelo Banco de Portugal, do BES em duas entidades Miguel Manso

O Banco de Portugal (BdP) anunciou ontem a dilatação do prazo para a entrega das propostas finais e vinculativas para a compra do Novo Banco.

De acordo com o comunicado do regulador, na sequência “de convite dirigido aos três potenciais compradores que apresentaram uma proposta vinculativa no dia 30 de Junho para que submetessem uma proposta vinculativa revista”, o Banco de Portugal deliberou fixar a data de 7 de Agosto para apresentação dessa proposta. Na corrida estão dois grupos chineses, a Fosun (dona da Fidelidade) e a Angbang, e o fundo norte-americano Apollo. O Novo Banco (ex-BES) teve uma injecção de 4900 milhões de euros, e a ideia é aproximar tanto quanto possível o valor da venda a esse valor.

O BdP salientou que esta possibilidade já estava prevista no caderno de encargos relativo à terceira fase do processo de alienação do Novo Banco, que previa que os potenciais compradores são "convidados a apresentar propostas vinculativas em uma ou mais rondas sucessivas, podendo haver lugar a negociação e à exclusão de potenciais compradores".