Opinião

Outra vergonha

A Amazon está a fazer mal às revistas que transmite para o Kindle.

As assinaturas no Kindle da Amazon são baratíssimas mas pouca gente sabe que é a Amazon que se encarrega de produzir as versões Kindle dos periódicos que oferece para assinatura.

A semana passada não consegui receber no meu Kindle o New Statesman. Noutras semanas chega sempre muito atrasado, tal como o TLS, cheio de gralhas, falhas e outros defeitos que nunca maculam as edições impressas.

Escrevi a Stephen Brasher, o gestor de assinaturas do NS. Ele respondeu-me logo. Disse-me que The Spectator, que fecha 24 horas antes do NS (mas aparece no Kindle logo às cinco da manhã de cada quinta-feira), paga "a developer a lot of money to do this for them".

Simpaticamente mandou-me um PDF da revista que me faltava, por pura cortesia. A Amazon, a quem compete passar o conteúdo das revistas para um formato legível pelo aparelho Kindle que eles inventaram e venderam, baldou-se à grande.

O NS é vagamente de esquerda e o Spectator é vagamente de direita mas tem graça que seja o semanário de direita que paga para não ser mal servido pela mais-do-que-capitalista Amazon.

O Kindle é cada vez mais esquecido pela Amazon. Querem vender os aparelhos, cada vez melhores e mais baratos, mas esquecem-se que, tal como os livros com capas e páginas muito bonitas, aquilo que está escrito nesses livros (antigamente conhecido como conteúdo) é, de longe ou de perto, aquilo que mais interessa.

A Amazon está a fazer mal às revistas que transmite para o Kindle: shame on you!