Exportações de mobiliário representaram 67% da produção em 2014

Depois de três anos em queda, as vendas totais no sector voltaram a crescer.

Foto
Cerca de 65% das empresas desta indústria estão concentradas no Norte do país. Nuno Ferreira Santos

As exportações de mobiliário para o lar aproximaram-se dos 500 milhões de euros em 2014, representando 67% da produção nacional, que ascendeu a 740 milhões de euros, de acordo com um estudo publicado pela Informa D&B.

Segundo os dados, nos últimos anos as empresas portuguesas têm apostado na internacionalização, e os números confirmam os resultados dessa estratégia: quando comparados com o ano 2008 em que as exportações representaram 44%, em 2011 a percentagem já representava 56%. 

Entre 2012 e 2014, as exportações permitiram que a produção nacional contabilizasse taxas de variação positivas.

Em 2014, as vendas no sector de mobiliário para o lar no mercado interno recuperaram e houve um aumento de cerca de 3% em relação ao ano anterior, atingindo os 350 milhões de euros. O que contraria a tendência de descida entre o período entre 2010 e 2013, que causou uma queda média anual de mais de 10%.

As importações no ano passado também aumentaram em relação a 2013 e chegaram aos 107 milhões de euros, ou seja, subiram cerca de 8%. No entanto, em 2007 as vendas no país encontravam-se nos 204 milhões de euros.

De acordo com o estudo, as empresas neste mercado têm vindo a diminuir nos últimos anos. Em 2009 existiam 5300 fabricantes, mas em 2013 este número já tinha descido para os 4250. Consequentemente, o número de trabalhadores no sector também diminuiu: em 2009 contava com 28.790 trabalhadores, enquanto em 2014 empregava 22.400 pessoas.  

A grande parte das firmas (90%) tem apenas cerca de dez trabalhadores. É no Norte do país que se podem encontrar 65% das empresas, 17% situam-se no Centro e 12% em Lisboa.