Torne-se perito

PS-Porto chumba a lista de deputados e deixa críticas ao líder federativo

A poucas horas da reunião da Comissão Política Nacional, líder da federação reconhece que a lista não representa todo o território

Para Quintanilha, as humanidades e as ciências sociais são muito importantes para o desenvolvimento do país
Foto
Para Quintanilha, as humanidades e as ciências sociais são muito importantes para o desenvolvimento do país Manuel Roberto (arquivo)

O presidente da federação do PS-Porto, José Luís Carneiro, que viu a lista de candidatos a deputados do distrito às próximas eleições legislativas chumbada pela comissão política distrital, reconheceu esta terça-feira que a candidatura “não tem a cobertura territorial desejada” e que seria alvo de correcções, revelando que estar a fazer diligências para ultrapassar o problema.

Em conferência de imprensa, na sede da federação distrital do Porto ao princípio da tarde desta terça-feira, José Luís Carneiro disse que estava a tentar dialogar com as concelhias do Vale do Sousa e Baixo Tâmega para que os socialistas desta região ficassem representados na lista. Se até ao início da noite desta terça-feira não conseguir uma solução, a decisão será tomada pela Comissão Política Nacional do PS. E o Porto é o único caso em que a lista foi chumbada.

Encabeçada pelo professor jubilado Alexandre Quintanilha, a lista de candidatos a deputados, foi chumbada segunda-feira à noite com 40 votos contra, 37 a favor, e dois nulos. A lista que foi a votos não contemplava a quota do secretário-geral, António Costa, que tem direito a indicar cinco elementos (mais um em zona de crescimento), dizia respeito apenas à quota que cabe àquela federação, que se divide entre José Luís Carneiro e a dupla Manuel Pizarro/Renato Sampaio (próxima do actual líder do partido). Na quota de Costa surgem os nomes de Ana Paula Vitorino, Pedro Bacelar de Vasconcelos, José Magalhães e Alberto Martins, em representação dos seguristas. 

O PÚBLICO sabe que a sensibilidade afecta ao secretário-geral não está na disposição de ceder mais em relação aos deputados, afirmando que que o problema terá de ser resolvido por José Luís Carneiro, que apresenta quatro pessoas do Porto para a lista. Curiosamente, nenhum destes quatro nomes teve o apoio da concelhia socialista.

Após o chumbo da lista, o líder federativo explicou que para ultrapassar o impasse havia duas alternativas: a realização de uma nova comissão política distrital durante esta terça-feira, o que era impossível ou a decisão seria tomada pela própria Comissão Política Nacional, que se reúne esta terça-feira à noite, em Lisboa, para aprovar todas as listas de deputados  às eleições legislativas.
Para a lista, Carneiro indicou nove elementos, sendo que destes quatro são do Porto (Carla Miranda, Ricardo Bexiga, António Leite e Fernando Jesus), dois da Trofa (Joana Lima e Teresa Fernandes) e ainda João Paulo Correia (Vila Nova de Gaia), André Ferreira (Penafiel) e ele próprio (Baião). Nos quinze primeiros lugares, o líder da federação tem nove, já a sensibilidade afecta a António Costa conta com cinco: Renato Sampaio e Tiago Barbosa Ribeiro (ambos do Porto), Isabel Santos (Gondomar), Luísa Salgueiro, (Matosinhos) e Fernando Malheiro (Penafiel).

Antes de ser chumbada pela comissão política distrital, Carneiro disse que a “lista foi resultado de um processo de diálogo entre todas as sensibilidades do PS e correspondeu a um esforço genuíno de unidade, que não foi reconhecido”. E na conferência de imprensa que convocou para esta terça-feira voltou a afirmar que “esta proposta de lista representa um esforço de renovação em mais de 50% e um esforço de cobertura de todo o território”, o que, como ele próprio reconheceu, não foi conseguidos e que esteve na origem do chumbo.

Pessoas próximas do presidente da maior federação criticaram as escolhas feitas pela distrital e Fernando Cerqueira (Gondomar) e Rui Terroso (Póvoa de Varzim) demitem-se do secretariado da federação com críticas ao presidente, que, pouco antes,tinha sido atacado pelo próprio presidente da mesa da comissão política distrital, Mário de Almeida. Dirigindo-se a Carneiro, Fernando Cerqueira diz publicamente que pôs as mãos no fogo por ele e que se queimou. Já Luís Filipe Araújo (da concelhia do PS de Gondomar) intervém para apoiar a lista e os gondomarenses que dela fazem parte.


Antes da votação José Luís Carneiro usa da palavra e confirma que as negociações foram suspensas na tarde de segunda-feira por causa da falta de representatividade de Penafiel e Paredes.