Surfista Mick Fanning atacado por tubarão na África do Sul

Assim que sentiu o contacto, o surfista começou a espernear e saiu da prancha por momentos. Terá sido nessa altura que o atingiu com os punhos. A prova foi suspensa.

O surfista australiano Mick Fanning foi atacado por um tubarão-branco quando neste domingo se preparava para disputar a final do torneio de surf de Jeffrey's Bay, na África do Sul. O atleta saiu ileso do ataque e logo depois de ter saído da água revelou que ainda conseguiu dar "murros no lombo" do tubarão.

A prova de Fanning, tricampeão mundial de surf, estava a ser transmitida em directo pela televisão. Quando o surfista remava depois de ter saído de uma onda, as barbatanas do animal surgiram da água atrás de si. Assim que sentiu o contacto, o surfista começou a espernear e saiu da prancha por momentos. Terá sido nessa altura que o atingiu com os punhos. O tubarão fugiu e Fanning, de 34 anos, foi recolhido pelos jet-skis de apoio. 

"Estava ali calmamente quando senti que alguma coisa tinha agarrado o meu 'leg rope' [ou "leash", corda que prende o tornozelo à prancha] e comecei a dar pontapés para me tentar libertar", explicou Fanning à Fox Sports. "Dei-lhe murros no lombo. Saltei de imediato mas ele continuou a atacar a prancha enquanto eu esperneava e gritava. Só vi barbatanas. Estava à espera dos dentes." 

Este incidente fez com que a final de Mick Fanning contra o seu compatriota Julian Wilson fosse suspensa. A prova deve realizar-se esta segunda-feira de manhã.

A África do Sul é o terceiro país com mais registos de incidentes com tubarões, na sua maioria não fatais. Segundo o site Shark Attack Data, que reúne informações sobre os ataques reportados em todo o mundo desde 1900, houve 554 (o número ainda não inclui o episódio com Mike Fanning) neste país, praticamente todos não provocados, dos quais 396 não resultaram na morte da pessoa envolvida.

Existem cerca de 400 espécies diferentes de tubarões mas apenas 30 foram identificadas em incidentes com humanos - o tubarão branco (Carcharodon carcharias) é uma delas. Na maior parte dos casos, os ataques são acidentais: o tubarão está à procura de comida nas zonas costeiras e confunde os movimentos e as sombras dos humanos (particularmente dos surfistas) à superfície com as suas presas, sobretudo com focas.

Notícia actualizada às 12h30 de 20/07: acrescenta os dois últimos parágrafos


Sugerir correcção