PSD quebra a tradição e leva CDS à festa do Pontal

Partidos da coligação vão aproveitar a tradicional rentrée algarvia do PSD para lançar a campanha eleitoral no terreno.

Foto
NFACTOS/Pedro Lima

Pela primeira vez, o PSD vai partilhar o palco da sua tradicional festa do Pontal, o evento que marca anualmente a rentrée política social-democrata. Aproveitando o facto de concorrerem em coligação às legislativas, os dois partidos vão juntar-se no calçadão de Quarteira. Pedro Passos Coelho e Paulo Portas vão partilhar o palco para discursar, confirmou o PÚBLICO junto do PSD.

Este ano a festa decorre no sábado, 15 de Agosto, na habitual zona nascente do largo passeio marginal de Quarteira. A festa esteve prevista para dia 14 (uma sexta-feira, como aconteceu nos últimos anos) mas a realização, nesse dia, de um concerto do DJ francês David Guetta no Estádio Municipal de Quarteira (situado entre Quarteira e Vilamoura), levou os responsáveis a temer que os acessos à cidade se tornassem caóticos.

No PSD chegou mesmo a equacionar-se a mudança da festa, por este ano, para Faro. Mas isso implicaria que numa só legislatura, e sob a batuta do mesmo presidente, a festa do Pontal se realizasse em três locais diferentes. Recorde-se que em 2012, um ano de grande contestação social, o evento foi transferido para o interior de um hotel de quatro estrelas de um parque aquático de Quarteira. O PSD negou então que fosse por “medo” do povo mas foi essa a imagem que passou mesmo entre os militantes. No ano seguinte regressou à marginal.

Mas se Passos Coelho e Paulo Portas estarão agora juntos no mesmo palco numa rentrée inédita, também é certo que não vão longe os tempos em que em dois partidos lançavam “bicadas” na disputa pelo mesmo eleitorado separados apenas por um distância de três ou quatro quilómetros.

Quando Mendes Bota assumiu a liderança dos sociais-democratas algarvios, transferiu a festa do Pontal de Faro para Quarteira (em 2006), conferindo-lhe dimensão e projecção mediática. Paulo Portas respondeu ao desafio com uma festa de Verão dos centristas, também em Quarteira, num local chamado “Duas Sentinelas”.

Os números de comensais não eram comparáveis - com grande vantagem para o PSD -, mas Portas fez sempre questão de marcar a diferença dizendo que o CDS-PP não era a “muleta do PSD”. No ano passado, segundo contas da organização, a festa do Pontal contou com 2600 militantes e simpatizantes que pagaram 10 euros pelo jantar, animação a cargo de artistas locais e as duas horas de discursos políticos.

Agora, além dos dois líderes, vão estar lado a lado também os candidatos a deputados (a lista ainda não está fechada, mas o CDS reclama para si o terceiro lugar no Algarve), fundindo as bandeiras partidárias nas da coligação denominada Portugal à Frente. Ao palco, além dos responsáveis da juventude local, da concelhia e da distrital, subirá também o cabeça de lista da coligação pelo círculo de Faro. À semelhança de anos anteriores, do lado de fora da vedação irão instalar-se pequenos núcleos de protesto, como é o caso da Comissão de Utentes da Via do Infante.

O espaço onde se realiza a festa do Pontal está sob a tutela administrativa da câmara de Loulé, actualmente presidida pelo socialista Vítor Aleixo. O pedido de autorização para ocupar o recinto, apurou o PÚBLICO, ainda não chegou para despacho, mas já houve “contacto informal” e a indicação é que não haverá inconveniente em ceder autorização.