BPN Crédito passa a 321 Crédito e quer voltar a estar entre as cinco maiores

Empresa foi compra pela Firmus Investimentos ao Estado em Dezembro de 2014

Antiga empresa do BPN muda de nome
Foto
Antiga empresa do BPN muda de nome Sara Matos

A nova instituição financeira de crédito, a 321 Crédito, que incorpora todos os activos do extinto BPN Crédito, quer chegar às cinco maiores empresas do sector, anunciou, nesta segunda-feira, o presidente executivo Luís Monteiro D'Aguiar.

Apresentada no Porto, a 321 Crédito quer estar no mercado nacional "numa lógica de longo prazo e quer continuar a crescer em ritmo sustentado para voltar a ocupar o lugar que já lhe pertenceu entre as cinco maiores instituições financeiras de crédito especializado em Portugal, com uma quota de 15%", afirmou Luís Monteiro D'Aguiar em declarações telefónicas à Lusa. Para conseguir esta meta, o presidente executivo da instituição de crédito frisou que "a nível operacional implica atingir uma produção média de pelo menos 100 milhões de euros anuais".

A 321 Crédito foi comprada pela Firmus Investimentos ao Estado em Dezembro passado e desde essa altura e até ao momento, "a quota de mercado da instituição já é de 6%", disse Luís Monteiro de D'Aguiar. O responsável disse ainda que, com activos líquidos de 120 milhões de euros, a 321 Crédito tem "uma forte solidez financeira e operacional", apresentando "uma situação líquida de 22 milhões de euros".

A nova instituição conta com 99 colaboradores e dispõe de uma cobertura nacional, com escritórios em Lisboa, Porto e Leiria, sendo que 60% dos canais de distribuição se situa a norte de Coimbra, 12% no centro e o restante na Grande Lisboa.
Para Luís Monteiro, a aposta da 321 Crédito é no financiamento ao crédito automóvel, mas está no plano de negócios entrar no crédito pessoal e 'factoring'.

A nova marca 321 Crédito foi desenvolvida pela Brandia Central, estando a partir de hoje presente em todo o país através da rede 321 Crédito assim como dos seus mais de 500 concessionários automóveis parceiros de negócio em todo o país.

Sugerir correcção