Para os pais de Casillas, “um campeão do mundo não pode acabar no FC Porto”

Numa entrevista ao jornal El Mundo, a mãe do guarda-redes espanhol compara o FC Porto a uma equipa da 3.ª Divisão e afirma que o filho enfrentou “pressão psicológica” dentro do clube madrileno.

Foto
Casillas "foi vilipendiado nos últimos cinco anos" no Real, acusa a mãe REUTERS/Andrea Comas

“O Iker aguentou uma pressão psicológica, um tratamento diferente dos outros jogadores. Foi vilipendiado nos últimos cinco anos e foi tudo muito injusto”, afirma a mãe. No Bernabéu, Casillas já não era uma figura unânime do madridismo desde que José Mourinho o tornou em suplente ocasional da baliza merengue. Em Espanha diz-se que foi a partir daqui que Casillas começou a perder confiança nas suas capacidades e a cometer mais erros. Empurrado pelo Real para a saída, Casillas foi desejado no FC Porto, em especial pelo técnico Julen Lopetegui, também ele um antigo guarda-redes, que lhe ligou pessoalmente para o convencer. 

Numa entrevista ao El Mundo, o pai do guarda-redes, José Luis, mostrou-se receoso de que a mudança na carreira do filho possa significar um final em queda: “Só não quero que acabe a esfregar sanitas como aquele campeão do mundo alemão (Andreas Brehme) ou arruinado com o Vitor Baía”.

Casillas deixa o Real Madrid como o segundo jogador com mais jogos da história dos merengues (725), a 16 dos 741 de Raúl González, e com 18 títulos no currículo: cinco campeonatos, duas Taças do Rei, três Ligas dos Campeões, quatro Supertaças de Espanha, duas Supertaças europeias, uma Taça Intercontinental e um Mundial de clubes. Na selecção espanhola, em que é o mais internacional de sempre (162 jogos), conquistou dois títulos europeus e um mundial.

A mãe, Mari Carmen, preferia ver o filho num clube como o Barcelona: “O FC Porto? Por amor de Deus. Quando saiu a notícia de que estava a procurar casa em Roma telefonei-lhe e disse-lhe ‘o que estás a fazer? Não vais’. Agora imaginem para o FC Porto. É uma equipa da Segunda B [3.ª Divisão] para alguém da categoria do Iker. Um campeão do mundo não pode acabar no FC Porto. Podia ter acabado onde quisesse, e não me importava que tivesse ido para o Barcelona onde são uns senhores”. Utilizando uma expressão espanhola, a mãe remata: “Mandaram-lhe uma 'vaporeta' em vez de uma 'máquina a vapor'".

Iker Casillas vai ganhar 14 milhões de euros líquidos nas duas próximas épocas, com o Real Madrid a pagar oito milhões e os impostos correspondentes. Ao FC Porto caberá a fatia de cinco milhões, mais impostos. Haverá ainda a opção por uma terceira época, em que o guardião poderá ganhar dez milhões de euros brutos.

Menos duro nas palavras, o pai do guarda-redes espanhol reconhece valor à equipa portista mas ainda assim preferia ver o filho num clube como o Manchester United ou o Paris Saint German. Inspirando pela democracia grega, Jose Luis diz que deveriam ser os fãs a decidir o destino de Iker: “Façam um referendo entre os sócios como fizeram na Grécia. A ver o que dizem.”