Helicóptero ligeiro da frota do Estado cai em Paços de Ferreira

Piloto ficou ferido sem gravidade e está a ser observado no hospital de Penafiel. Aparelho acidentado deve ser substituído nas próximas 48 horas.

Desde Janeiro já deflagram cerca de 5800 incêndios em floresta e mato
Foto
Desde Janeiro já deflagram cerca de 5800 incêndios em floresta e mato Paulo Pimenta

Um helicóptero ligeiro da frota do Estado caiu nesta segunda-feira em Lamoso, no concelho de Paços de Ferreira, quando estava a abastecer-se de água para ajudar a combater um incêndio nas proximidades. Após o aparelho embater na água, o piloto conseguiu sair da aeronave e nadar até à margem, tendo sido transportado para o Centro Hospitalar Tâmega e Sousa, em Penafiel, onde está a ser observado.

O aparelho deverá ser substituído nas próximas 48 horas, adiantou ao PÚBLICO fonte oficial da Heliportugal, a empresa responsável por operar o helicóptero do Estado que integra o dispositivo de combate aos incêndios florestais. A mesma fonte diz que num primeiro contacto com o piloto, o mesmo garantiu que não houve qualquer falha mecânica na aeronave. 

Em comunicado, a Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC) esclarece que o aparelho é um helicóptero ligeiro - um Ecureuil B3 - da frota dos meios aéreos do Estado, que estava estacionado no Centro de Meios Aéreos de Baltar. "Depois de ter largado a brigada helitransportada no teatro de operações, [o helicóptero] deslocou-se ao ponto de água mais próximo da ocorrência – Lugar de Brigadeiros, tendo sofrido um acidente", adianda a ANPC. "A aeronave afundou-se, ficando completamente submersa, tendo o piloto, único ocupante nesse momento da aeronave, conseguido sair pelos seus meios", acrescenta-se.

O presidente do Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves (GPIAA), Álvaro Neves, refere que já está um técnico no terreno, mas o resgate da aeronave só deve ser feito amanhã. "Será necessário requisitar meios para esta operação, nomeadamente mergulhadores, uma grua e um camião. Por isso, só devemos resgatar amanhã o helicóptero", afirma Álvaro Neves.

O comandante comandante operacional distrital do Porto, Carlos Alves, garante que o piloto estava "consciente, orientado" e não aparentava qualquer lesão. O helicóptero estava a reabastecer-se para prestar apoio num incêndio que deflagrou em Sanfins, uma ignição que foi debelada a meio da tarde.