DR
Foto
DR

Waratahs cedem a coroa a Hurricanes ou Highlanders

O Westpac Stadium, em Wellington, receberá na manhã do próximo sábado uma final 100% neozelandesa

As meias-finais do Super Rugby não desiludiram e continuaram a proporcionar um râguebi de elevada qualidade. Os Hurricanes, vencedores incontestados da Fase Regular, garantiram um lugar na final depois de derrotarem de forma clara os Brumbies (29-9), enquanto os Highlanders foram até Sydney surpreender os Waratahs, campeões em título, com uma segunda parte de grande nível (17-35). No próximo sábado, no Westpac Stadium, casa dos Hurricanes, vai realizar-se a primeira final 100% “kiwi” desde 2006 e já há uma certeza: qualquer que seja a equipa a vencer, haverá um inédito campeão.

Hurricanes-Brumbies (29-9)

O resultado final não foi surpresa, mas não se esperava uns Hurricanes tão fluidos e inspirados. A equipa de Wellington revelou-se um rolo compressor com quatro nomes em destaque: Nonu, Milner-Skudder e os irmãos Julian e Ardie Savea. No entanto, nem tudo correu bem para os neozelandeses. Skudder e Ardie Savea saíram lesionados e as suas mazelas ainda estão a ser analisadas, esperando o treinador dos “canes” que possam estar recuperados para a final. Quanto os Brumbies, que passaram quase todo o jogo a tentar defender as investidas poderosas dos homens da casa, pouco se viram e o melhor que conseguiram foi pontuar através de duas penalidades de Lealiifano e uma de Mogg. Os Hurricanes marcaram ensaios na primeira parte por Julian Savea e TJ Perenara (11º da época para o formação), enquanto Ardie Savea e Matt Proctor confirmaram, com os seus toques de meta, a superioridade neozelandesa nos últimos 40 minutos.

PÚBLICO -
Foto

Waratahs-Highlanders (17-35)

A equipa dos Highlanders teve na táctica delineada pelo seu treinador Jamie Joseph a arma que se revelou fatal para as esperanças dos Waratahs, que desta forma ficaram sem hipóteses de defender no próximo sábado o título conquistado no ano passado. Foi um duelo em que o posicionamento em campo dos Highlanders, a jogar em contra-ataque e a controlarem muito bem os tempos do jogo com pontapés precisos e domínio das fases estáticas (principalmente dos alinhamentos), foi fundamental para, ao intervalo, já levarem vantagem (15-14). Presos na teia montada pelo rival, os Waratahs não conseguiram lançar o seu jogo habitual e só Bernard Foley, com quatro penalidades, e Ron Horne, com um ensaio madrugador de (11’), deram motivos para festejos para os adeptos australianos. Muito determinados e com as linhas atrasadas a desenvolverem um trabalho de excelência, bem complementado pelo pack avançado, os Highlanders chegaram ao ensaio por Aaron Smith (o formação está em grande forma), pelos dois pontas (Waisake Naholo e Patrick Osborne), pelo primeiro-centro Richard Buckman. Houve ainda um ensaio de penalidade. Lima Sopoaga, também um incontornável na equipa, foi responsável por duas conversões, uma penalidade e um drop. Tratou-se da primeira vitória dos Highlanders em Sydney em oito anos, o que diz bem da determinação da equipa em fazer valer as suas valências e qualificar-se para a sua segunda final na prova - a outra foi em 1999.