Joshua Roberts/Reuters
Foto
Joshua Roberts/Reuters

Casamento gay legalizado em todos os estados dos EUA

Supremo entende que a Constituição do país garante a todos os cidadãos o direito de contrair casamento

O Supremo Tribunal dos Estados Unidos decidiu nesta sexta-feira a favor do casamento gay, em todos os estados norte-americanos. O tribunal considerou que a Constituição do país garante o direito igualitário a todos os cidadãos de contrair casamento e, como tal, a sua proibição a casais do mesmo sexo é contrária à lei. Face a esta decisão os 14 estados norte-americanos que não permitem o casamento gay terão de levantar essa proibição.

Numa decisão histórica, o juiz conservador Anthony Kennedy juntou-se aos quatro juízes escolhidos pelos Democratas e votou a favor do casamento gay em todos os estados norte-americanos, moção que saiu vencedora através de cinco votos favoráveis contra quatro, no Supremo Tribunal dos Estados Unidos da América.

“Nenhuma união é mais profunda que o casamento, porque ela incorpora os mais altos ideais do amor, da fidelidade, da devoção, do sacrifício e da família”, escreveu Kennedy em nome do tribunal, referindo que os casais homossexuais “não podem ser excluídos de uma das mais antigas instituições da civilização” e que a Constituição garante a “igualdade de todos os cidadãos aos olhos da lei”.

PÚBLICO -
Foto
A festa fez-se nas ruas logo que foi conhecida a decisão do Supremo Jim Bourg/Reuters

O Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, falou ao país, a partir da Casa Branca e afirmou que a decisão do Supremo Tribunal é “um grande passo para a igualdade” e uma “vitória para a América”. Para Obama, a decisão exteriorizou o ideal norte-americano de que “todos os cidadãos estão igualmente protegidos pela lei, independentemente de quem amam”. O Presidente norte-americano realçou ainda a “rapidez da mudança de mentalidade” no país e agradeceu a todos os que contribuíram, “durante décadas”, com “pequenos actos de coragem”, para esta decisão “histórica”.

A Casa Branca mudou mesmo a fotografia de perfil das suas contas oficiais do Twitter e do Facebook, apresentando o histórico edifício com as várias cores do arco-íris, associando-se aos festejos dos milhões de cidadãos e activistas dos direitos LGBT, um pouco por todo o mundo. Entretanto, por cá, a Assembleia da República aprovou por unanimidade a consagração do dia 17 de Maio como "dia nacional contra a homosobia e a transfobia".