João Costa fez pontaria ao ouro e acertou na prata

Sexta medalha para Portugal na competição que decorre no Azerbaijão.

Foto
João Costa ainda vai disputar mais duas provas em Bacu CARLOS ALBERTO MATOS/FGP

Sem ter de lutar por uma vaga nos Jogos Olímpicos, João Costa estava tranquilo na final da prova de Pistola de Ar Comprimido a 10 metros. E foi vendo, um a um, os que ainda lutavam pela quota olímpica a serem eliminados. No final, ficaram quatro e João Costa, sargento da Força Aérea, foi o segundo com mais pontaria na carreira de tiro em Bacu, onde decorre a primeira edição dos Jogos Europeus. O atirador português ainda chegou a liderar, mas acabou por ficar atrás do sérvio Damir Mikec por apenas três décimas (201,8 contra 201,5).

A medalha de João Costa foi a sexta conquistada por atletas portugueses no Azerbaijão, depois do ouro de Rui Bragança (-58 kg) no taekwondo e do ténis de mesa por equipas (Marcos Freitas, Tiago Apolónia e João Geraldo), bem como as pratas de João Silva no triatlo e de Fernando Pimenta na canoagem, em K1 1000 e 5000.

“É sempre uma tranquilidade diferente [já ter conseguido o apuramento para os Jogos]. Notou-se na final que os atletas que estão a lutar pela quota [olímpica] foram os primeiros a sair também, porque estavam mais nervosos”, explicou o atirador do Sporting, que ainda tem mais duas provas em Bacu: Pistola Livre a 50m e a prova mista de Pistola de Ar Comprimido a 10m, com Joana Castelão (nesta quarta-feira, a atiradora foi 25.ª em 36 participantes no tiro a 10m). Já no tiro com armas de caça, João Azevedo e Bruno Faria melhoraram o desempenho em relação ao primeiro dia na prova de Trap, sendo 14.º e 24.º, respectivamente, mas falharam o acesso à final.

PÚBLICO -
Foto

Em grande nestes Jogos Europeus continuam os representantes portugueses no ténis de mesa. Depois do ouro colectivo, Marcos Freitas e Tiago Apolónia já estão na terceira ronda da prova de singulares, ao derrotarem, respectivamente, o eslovaco Lubomir Pistej por 4-0 (11-7, 11-3, 11-8 e 11-4) e o espanhol Marc Duran por 4-2 (11-6, 11-6, 11-6, 10-12, 7-11 e 11-5). Nesta quinta-feira, os dois portugueses defrontam os dois suecos, com Freitas a encontrar-se com Par Gerrell, enquanto Apolónia vai medir forças com Kristian Karlsson. Na prova individual feminina, Fu Yu perdeu na sua entrada em competição com a eslovaca Eva Odorova por 4-1 (10-12, 11-8, 9-11, 8-11 e 8-11), sendo que, no dia anterior, Leila Ribeiro havia sido eliminada pela húngara Dora Madarasz.

Na ginástica, a numerosa presença portuguesa nas várias modalidades deu, para já, dois apuramentos para a final e uma qualificação para o Europeu. Nas finais de equilíbrio e dinâmica, Jéssica Correia e Susana Pinto foram sétimas e qualificaram-se para o Campeonato da Europa, sendo ainda as primeiras de reserva para as finais. Nos trampolins, Diogo Ganchinho foi o último a apurar-se para a final individual, com 104.455 pontos, enquanto Ana Rente falhou o objectivo, sendo 11.ª, com 95.885. A dupla formada por Inês Germano e João Martins vai à final de equilíbrio de pares mistos, com o quinto lugar nas eliminatórias, enquanto no dinâmico são os primeiros de reserva. Na ginástica aeróbica, o par misto Ana Maçanita/Tiago Faquinha foi sétimo em dez duplas, sendo o primeiro de reserva para a final.

No taekwondo, depois do ouro de Rui Bragança, Mário Silva ainda foi à repescagem para a medalha de bronze, em -68 kg, mas perdeu com o turco Servet Tazegul, campeão da Europa, do mundo e olímpico (12-6), enquanto Joana Cunha (-57 kg) foi afastada na primeira ronda. com Lusa