AFP
Foto
AFP

Inconsistência volta a ser fatal para Portugal

A selecção nacional sofreu duas derrotas no primeiro dia da segunda etapa do Circuito Mundial de sevens e nos quartos-de-final voltará a defrontar a França

Uma semana depois, o filme repetiu-se. Depois de um pouco animador quinto lugar na primeira etapa do Circuito Europeu de sevens, Portugal voltou a ter uma prestação no Grand Prix Series repleta de altos e baixos e a inconsistência da formação nacional teve como consequência uma inesperada derrota contra a Itália, resultado que deixou a selecção portuguesa em dificuldades para conseguir disputar neste domingo os oito primeiros lugares na segunda ronda do Circuito Mundial.

O quinto lugar na etapa moscovita obrigava a selecção nacional a alcançar um lugar na final em Lyon para se manter na luta pela vitória no Circuito Europeu e, dessa forma, garantir de imediato o apuramento para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, mas no primeiro dia os resultados estiveram longe de serem os desejáveis.

O primeiro adversário de Portugal no Grupo A foi a Geórgia, que na ronda inaugural ficou em 9.º lugar, e os georgianos voltaram a mostrar debilidades. No primeiro tempo, a selecção de Leste ainda ofereceu alguma resistência (12-5, com ensaios de Adérito Esteves), mas nos últimos sete minutos os portugueses conseguiram mais dois toques de meta (Gonçalo Foro e José Lima), fixando o marcador final em 26-5.

PÚBLICO -
Foto

No segundo duelo, contra a Itália, o favoritismo voltava a estar do lado de Portugal, mas a prestação portuguesa foi desastrosa. Com erros sucessivos no ataque, muita desconcentração defensiva e pouca organização colectiva, Portugal chegou ao intervalo a perder por 5-7 (ensaio de José Vareta) e no segundo tempo o cenário não melhorou.

Apesar de João Lino ainda ter colocado a formação portuguesa na frente, Portugal ofereceu numa bandeja a vitória à Itália. Sem terem feito quase nada por isso, os transalpinos limitaram-se a aproveitar os erros portugueses e, com dois ensaios muito consentidos pela defesa de Portugal, garantiram a surpreendente vitória, por 17-10.

A derrota deixava Portugal em risco de ter de lugar no último dia pelos últimos quatro lugares e para o evitar, a equipa portuguesa necessitava de somar o melhor resultado possível contra a anfitriã e super favorita França. E o que se viu, contra os franceses, foi um conjunto português com uma atitude completamente diferente da exibida contra a Itália.

Concentrados e agressivos, os jogadores nacionais jogaram de igual para igual com a França e chegaram a estar a vencer por 12-7 (ensaios de Nuno Sousa Guedes e José Lima), mas os gauleses deram a volta na segunda parte e derrotaram Portugal, por 19-12.

Com duas derrotas e apenas uma vitória, a selecção portuguesa conseguiu apenas o oitavo melhor registo do primeiro dia e isso terá como consequência que neste domingo, às 9h00, volte a encontrar a França, desta vez nos quartos-de-final. Apesar de defrontar o principal favorito, esta é uma oportunidade de ouro para Portugal: se eliminar os franceses, a selecção portuguesa volta a reentrar na luta pela vitória no Circuito Europeu, o que significará o apuramento Olímpico.