DR
Foto
DR

Crusaders fora do playoff 14 anos depois

A penúltima jornada da Fase Regular do Super Rugby definiu as seis equipas que vão lutar pelo título

Hurricanes, Highlanders, Chiefs, Waratahs, Brumbies ou Stormers: uma destas seis formações vai vencer o Super Rugby 2015. A penúltima jornada da Fase Regular da competição trouxe vitórias bonificadas dos Waratahs e dos Brumbies, o que deixou automaticamente os Crusaders fora das contas do playoff, o que já não acontecia desde 2001. Os Hurricanes deram mais uma enorme prova de fogo, batendo de forma clara os Highlanders, numa jornada onde Jerry Collins, falecido na última sexta-feira num acidente de automóvel, foi homenageado.

 

Hurricanes-Highlanders (56-20)

PÚBLICO -
Foto

Com oito ensaios marcados e três sofridos, os Hurricanes garantiram o primeiro lugar na conferência neozelandesa pela primeira vez na sua história e um lugar nas meias-finais, onde terão o privilégio de jogar em casa. Com apenas duas derrotas jogos em 15, os “canes” somam 62 pontos, 14 de vantagem sobre os Chiefs e o rival nesta ronda. Os Highlanders fizeram descansar Aaron, Ben Smith e Malakai Fekitoa, o que diminuiu drasticamente a sua qualidade, e as ausências foram bem aproveitadas pelos Hurricanes, que tiveram em Ma’Nonu um dos seus jogadores em destaque: com mais dois ensaios, o centro confirmou que atravessa um excelente momento de forma.

 

Force-Brumbies (20-33)

A vitória dos Brumbies frente à Force (5-2 em ensaios), manteve a equipa de Canberra em igualdade pontual com os Waratahs no topo da Conferência Australiana. Os forasteiros entraram forte, com 90% de posse de bola durante os primeiros 10 minutos e conseguiram impor sempre o seu râguebi, chegando ao intervalo a vencer por 6-21. David Pocock com mais um hat-trick, voltou a fazer a diferença nos Brumbies, que viram ainda Christian Lealiifano e Alaalata marcar ensaios. A Force reapareceu nos últimos 20 minutos, mas não chegou sequer a assustar os rivais australianos.

 

Rebels-Bulls (21-20)

A quarta vitória consecutiva em Melbourne dos Rebels, correspondeu à quarta derrota consecutiva dos Bulls. A equipa sul-africana não consegue uma vitória na Australásia há três anos, o que é um factor muito pesado para uma equipa com tanta história. O resultado esteve sempre taco a taco, com os Bulls a marcarem o primeiro ensaio por Greyling, logo respondido por McMahon. Labuschagne volta o colocar os Bulls na frente, mas os Rebels com ensaios de Debreczeni e Lopeti Timani conseguiram dar a volta ao resultado e garantir mais um triunfo.

 

Blues-Crusaders (11-34)

Os Blues apresentaram uma equipa muito jovem, já a pensar na próxima época, e desta feita os Crusaders não estiveram com contemplações e marcaram quatro ensaios, insuficientes para garantir um lugar no playoff. Os toques de meta foram marcados por Nemani Nadolo, Luke Romano, Matt Todd, havendo ainda um ensaio de penalidade. Ao cair do pano, os Blues marcaram o ensaio de honra por Ben Lam.

 

Reds-Chiefs (3-24)

Ensaios de Bryce Heem, Liam Messam e um bis de Charlie Ngatai colocaram os Chiefs no playoff, com uma exibição defensiva verdadeiramente avassaladora: 142 placagens realizadas, uma prestação à imagem de Jerry Collins. Do lado dos Reds, Will Genia e James Horwill, que vão rumar a outras paragens, despediram-se do Suncorp Stadium com um resultado negativo.

 

Cheetahs-Waratahs (33-58)

Franco Smith, novo treinador dos Cheetahs, deu um novo ímpeto à equipa sul-africana que ainda resistiu aos campeões na primeira parte (21-27 ao intervalo). No entanto, no segundo tempo a máquina dos Waratahs tornou-se imparável e os australianos terminaram o jogo com nove ensaios, três dos quais por Israel Folau.

 

Stormers-Lions (19-19)

Num empate com três ensaios para cado lado, os Stormers dominaram o jogo quase na totalidade, mas os últimos 10 minutos dos Lions foram suficientes para evitar a derrota. No entanto, a igualdade bastou para equipa do Cabo garantir a vitória na Conferência da África do Sul.